Publicidade
Publicidade

Enquanto o governo federal estuda cortar despesas com a educação pública no Brasil, milhares de crianças necessitam de maiores cuidados em regiões mais carentes e a realidade das condições precárias do ensino no país podem ser conferidas até mesmo em Brasília, local onde os políticos buscam formas de diminuir os repasses para a educação. Enquanto o sistema educacional perde investimentos e luta por um futuro instável, algumas crianças padecem diante da falta de estruturas mínimas em escolas e instituições públicas espalhadas por todo o país, revelando um retrato sombrio na educação. Ainda existem muitas pessoas pobres no Brasil e que necessitam do apoio governamental, pois muitas crianças ainda encontram uma refeição enquanto frequentam a escola, sem algo para comer em casa, por exemplo.

Publicidade

E foi por falta de comer que um menino acabou desmaiando [VIDEO]enquanto assistia à aula.

Menino estuda em escola no Distrito Federal e não tinha o que comer

O episódio comovente aconteceu na região do Distrito Federal na Escola do Cruzeiro. O #menino de oito anos desmaiou enquanto assistia à explicação da professora e a causa foi a #Fome. A criança não tinha almoçado no dia em que ela desmaiou, assim como muitos dos alunos que não comem nada e chegam à escola após percorrerem 30 quilômetros até o local todos os dias. A triste realidade do menino que vai sem almoçar para a escola é o que acontece com muitos brasileiros que vivem com muito pouco dinheiro e não conseguem dar condições melhores aos filhos. Além disso, o crescimento do desemprego fez com que muitos pais ficassem sem trabalho, e isso também afetou a vida dos alunos da Escola do Cruzeiro.

Publicidade

Criança precisa sair cedo de casa para chegar à escola, que fica a 30 Km de distância

O menino de oito anos que desmaiou mora bem longe do local em que estuda e todos os dias percorre uma grande distância para chegar até a sala de aula. O percurso não é fácil e o governo local garante um ônibus que busca e leva as crianças que moram tão longe da escola. Isso acontece porque eles são filhos das pessoas que vivem em um conjunto habitacional ‘Minha Casa, Minha Vida’, que fica distante de outras instituições e não possuem escola próxima ao local construído recentemente, afastado de alguns locais mais habitados

Outras 250 crianças fazem o mesmo trajeto todos os dias e ficam famintas na escola

Isso faz com que 250 crianças tenham que percorrer 60 quilômetros todos os dias, considerando o trajeto de ida e volta. Para chegar para as aulas que acontecem às 13h, as crianças saem de casa duas horas antes, e por isso muitas chegam sem almoço na escola. Na instituição, os alunos podem comer apenas biscoito e suco, que é o que a escola pode oferecer para eles, mas isso só acontece as 15h30, muito tempo depois que eles saíram de casa e estão famintos. Por ficar todo esse tempo sem comer, um aluno acabou desmaiando na escola e quando o socorro chegou o atendente [VIDEO]até chorou ao ver que o menino estava daquele jeito por não ter o que comer.

Publicidade

#Maternidade