Publicidade
Publicidade

A violência contra as mulheres está atingindo índices inimagináveis [VIDEO]. Todos os anos, milhares de mulheres são assassinadas, agredidas e violentadas em todo o mundo, e no Brasil não é diferente. De acordo com o Atlas da Violência divulgado pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA) e o Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP), aproximadamente 13 mulheres são assassinadas por dia no Brasil. As maiores vítimas são mulheres entre 15 e 29 anos, infelizmente, na maioria das vezes, os assassinos são os maridos, companheiros, namorados, familiares, entre outros.

Mais um caso chocante de violência contra mulher

De acordo com o portal de notícias online 'Ric Mais', vinculado ao site 'R7', um homem foi preso nesta terça-feira (7), depois que a Polícia Militar de Apucarana, cidade localizada na Região Norte do Paraná, recebeu uma denúncia [VIDEO] da equipe médica da UPA (Unidade de Pronto Atendimento) daquela cidade, onde foram relatados maus tratos a uma mulher de 21 anos.

Publicidade

Quando a equipe de policiais militares chegou na unidade de saúde se deparou com a jovem muito machucada. Ela teve um braço quebrado, várias lesões pelo corpo e precisou levar muitos pontos em diversos ferimentos. Ela relatou para os PMs que foi mantida em cárcere privado, onde foi duramente agredida e estuprada por três dias.

Entenda

Segundo o depoimento da jovem, que não teve seu nome revelado, ela foi convidada pelo homem, que era seu conhecido, para que fosse até a sua casa. Ao chegar no imóvel deste indivíduo que já um velho conhecido da polícia acusado de tráfico de drogas, ela afirmou que foi mantida presa por três dias na casa, onde foi estuprada por diversas vezes, além de ser agredida com taco de sinuca e uma barra de ferro.

O suspeito foi preso. Na casa onde a mulher ficou presa, foi encontrado, maconha e cocaína fracionada para venda e câmeras de segurança roubadas, um outro homem que também estava na residência foi preso por omissão de socorro.

Publicidade

Mesmo diante de todas as evidências, ao chegar na delegacia o homem insistiu em dizer que não havia cometido os crimes e que a vítima estava mentindo. A polícia vai dar sequência nas investigações. A mulher já recebeu alta e passa bem. Os dois homens vão continuar detidos na delegacia de Apucarana.

Assista ao vídeo onde a vítima mostra os sinais das agressões. Vale ressaltar que mesmo não havendo imagens explicitas no vídeo, pessoas sensíveis não devem acessar o conteúdo:

#Violência sexual #Caso de polícia #Violência no Brasil