Publicidade
Publicidade

Os moradores da cidade de #Alexânia, Goiás, estão desolados com o assassinato de Raphaella Noviski, de 16 anos. Raphaella estudava em uma #Escola pública no entorno do Distrito Federal. Durante a aula, o jovem Misael Pereira Olair, de 19 anos, invadiu a escola e efetuou 11 disparos contra a vítima. Raphaella morreu no local.

Moradores da cidade estão estarrecidos com o assassinato. No enterro que aconteceu na manhã desta terça-feira (7), muitas pessoas se emocionaram ao darem adeus à jovem. Muitos levaram cartazes e balões brancos pedindo paz e justiça para o caso de Raphaella.

Os que mais se emocionaram durante a despedida foram os familiares da jovem.

Publicidade

O pai dela, Leandro Márcio Romano, de 40 anos, disse que esta vivendo um sentimento de tristeza e raiva por saber que perdeu a filha de maneira tão brutal. Ele chegou à cidade 1 dia antes da tragédia. Ele se separou da esposa e morava em outra cidade. Sua ida a Alexânia era para tentar reatar o contato com filha, a qual não via há cerca de 10 meses. "Sinto de tudo um pouco, é uma mistura de raiva e tristeza. Não deu tempo de falar que eu a amava, de pedir desculpa pela distância", lamentou.

A escola em que Raphaella estudava está fechada até que se concluam as investigações. A previsão é que as atividades no colégio voltem somente no próximo dia 16, quando está prevista uma homenagem à vítima.

Crime

O atirador tinha planos de cometer o crime e em seguida ir para a casa de seu pai na zona rural, no entanto, acabou sendo preso antes disso.

Publicidade

Durante o depoimento à polícia, Misael não se mostrou arrependido pelo que fez.

O delegada responsável pelo caso disse que Misael estava planejando o crime há cerca de 1 ano. Pelo que ela pôde perceber, o rapaz matou a jovem por não ter seus sentimentos correspondidos [VIDEO]. Há algum tempo, ele já havia tentado namorar com Raphaella, mas ela não quis. Devido a isso, o rapaz foi alimentando um desejo de vingança durante há alguns meses e decidiu colocar um fim na história.

Uma parte do depoimento que chocou os policiais foi quando perguntaram a ele o motivo de ter feito 11 disparos [VIDEO]. Misael respondeu que essa foi um forma que arrumou para a vítima agonizar menos e morrer mais rápido. Para ele, essa foi uma maneira de diminuir a dor de Raphaella.

Raphaella tentou se defender

A maioria dos disparos foram feitos na cabeça da vítima. Segundo os laudos da necropsia, foram encontradas algumas perfurações de balas na mão da vítima. Para eles, Raphaella tentou se defender de alguns disparos usando as mãos.