Publicidade
Publicidade

Um policial militar identificado como Agnaldo Alves, que também trabalha como motorista do Uber, está sendo acusado de ter estuprado e agredido com um estilete uma adolescente de 17 anos. O crime ocorreu no final de outubro, em Salvador (Bahia), mas o PM continua solto.

Segundo a vítima, ela estava na casa de seu namorado, no bairro de Sussuarana quando, por volta das 18h do dia 25, solicitou uma corrida de Uber para voltar a sua casa, que fica no Subúrbio Ferroviário. Porém, alguns minutos depois, Agnaldo mudou de direção e foi parar em uma rua quase deserta, onde investiu contra a moça tentando pegar seu celular para apagar o registro, como ela não cedeu, o policial cortou seus braços com um estilete e depois a estuprou.

Publicidade

Segundo a delegada que acompanha o caso, Janice Dórea Mutti, após o policial estuprar a jovem, ele ainda perguntou se ela tinha gostado. Em seguida, fugiu [VIDEO], deixando a moça na rua. Ela teve que pedir socorro a populares. Ela foi atendida pelo Samu, onde os profissionais, notando a gravidade, a encaminharam para o Instituto de Perinatologia da Bahia (Iperba), em Brotas, mas já recebeu alta médica.

O policial militar Agnaldo Alves é lotado na 19ª Companhia Independente da Polícia Militar [VIDEO] (CIPM/Paripe) e está afastado de suas atividades enquanto ocorrem as investigações.

A Delegacia de Repressão aos Crimes Contra a Criança e o Adolescente (Dercca) está investigando o caso, mas ainda não interrogou o policial militar. Existe a expectativa de que o depoimento ocorra na próxima sexta-feira (10).

Publicidade

Em nota, a Corregedoria da #Polícia Militar informou que já instaurou um Procedimento Administrativo Disciplinar para apurar o caso.

PM nega estupro

O advogado do PM, Davi Esmeraldo, conta que seu cliente nega veementemente que tenha estuprado a jovem ou que estivesse armado.

Uber se manifesta

Assim que tomou conhecimento do fato, a Uber informou que Agnaldo não faz mais parte do aplicativo e que a empresa já entrou em contato com a família da adolescente para ajudar no que for preciso e que também quer colaborar com as investigações.

Outro caso envolvendo a Uber

Em agosto deste ano, outro episódio semelhante ocorreu com um motorista de Uber e também virou caso de polícia. José Santana Ribeiro, de 44 anos, que deveria levar uma adolescente de 13 anos para a escola, mas no meio do caminho passou a acariciá-la. O motorista foi indiciado pelo crime de constrangimento e também foi desligado do Uber. #Estuprador #crime bárbaro