Publicidade
Publicidade

No ‘dia dos mortos’, o Brasil inteiro ficou sabendo sobre a tragédia que aconteceu com Kelly Cadamuro. A jovem radiologista foi brutalmente assassinada após oferecer carona através de um aplicativo na internet. Jonathan Pereira do Prado foi o responsável pela morte da jovem, após entrar no carro de Kelly em São José do Rio Preto com destino a Minas Gerais. Kelly estava sendo aguardada pelos familiares de seu namorado para a festa da mãe dele, que aconteceria durante o feriado, mas a jovem nunca chegou ao seu destino e foi morta pelo homem a quem ela ofereceu carona pelo WhatsApp. O crime ganhou repercussão nacional e foi noticiado por diversos canais [VIDEO], e o assunto chegou a ser um dos mais comentados na internet [VIDEO].

Publicidade

Mulheres estão com medo de oferecer carona para desconhecidos após Kelly ser morta

Com a morte de Kelly surgiu o medo entre as mulheres que oferecem caronas em seus carros para pessoas desconhecidas. Kelly foi brutalmente assassinada e estuprada, e a jovem entra para as estatísticas de #Feminicídio do país. Milhares de mulheres comentaram sobre o que aconteceu com Kelly, que deixou muitas apavoradas e com medo de serem as próximas vítimas. Infelizmente, o medo é a rotina de milhares de mulheres que temem pela sua vida ou que já sofreram algum tipo de abuso e ou ataque, e não querem que isso aconteça novamente.

Vítima chegou a falar com familiares momentos antes de morrer

Kelly fez contato com os familiares e seu namorado durante a noite, momentos antes de ser morta.

Publicidade

O criminoso foi preso horas depois que o crime aconteceu, após as autoridades chegarem até Jonathan e outros dois homens que também foram detidos. Eles não participaram do crime, mas receptaram a mercadoria roubada de Kelly, fazendo com que eles respondam pelo crime.

A polícia concluiu o inquérito sobre a morte de Kelly, mas parece que existem outras coisas que podem ser reveladas. Mas, para a família da jovem que morreu, a história não teve um ponto final ainda, pois todos querem saber mais detalhes sobre a morte de Kelly, que já teve seu inquérito concluído, após constatarem que a jovem foi estuprada, contrariando o depoimento inicial do criminoso, que alegava que não havia abusado da mulher antes de matá-la estrangulada.

Mistério pode revelar novas informações sobre o caso de Kelly e família pede providências

Os familiares querem que o sigilo telefônico da vítima seja quebrado, pois suspeitam que novas informações possam causar uma reviravolta no caso. Os familiares de Kelly alegam que é preciso saber sobre a mulher que combinou carona com Kelly e que não apareceu com Jonathan no momento do embarque, além disso, uma chamada não identificada foi recebida no telefone de Kelly na noite em que ela morreu e ninguém sabe quem foi que ligou para a jovem. #Caso de polícia #crime bárbaro