Publicidade
Publicidade

Alunos de uma escola estadual localizada em Santa Maria de Itabira, na região Central do estado de #Minas Gerais, estão sofrendo com as péssimas condições do prédio que estudam. Goteiras caindo da laje e alagamentos constantes são comuns na rotina escolar dos estudantes.

A #Escola, que atende cerca de 800 alunos do sexto ano ao Ensino Médio, é vítima do descaso público com a educação. O estabelecimento está em situação precária e quem sofre as consequências são as crianças que desejam apenas o direito de estudar.

O jornal 'O Tempo' recebeu um vídeo com a denúncia das péssimas condições estruturais da escola. Na gravação, é possível ver a água invadindo a biblioteca da unidade.

Publicidade

Muitos livros foram danificados pela água. Funcionários e alunos precisam utilizar rodos para retirar a água e improvisar baldes no intuito de tentar conter as goteiras.

O vídeo

No vídeo, um aluno identificado como José Luiz comoveu em seu discurso. Ele disse: "Somos alunos da Escola Estadual Santa Maria (...) Toda vez que chove temos que aguentar a situação das goteiras e um chão todo molhado e tem que aguentar o cheiro muito forte da madeira que absorve a água e fica com um cheiro ruim na sala".

Os alunos denunciam que tentaram fazer uma rifa para conseguir dinheiro para fazer um pequeno reparo na escola. Os alunos pedem ajuda para chamar a atenção do governo para o descaso com a situação.

Pés molhados

Segundo uma funcionária da escola, há um problema de infiltração na estrutura que se agrava em dias de chuva.

Publicidade

Ainda de acordo com a moca, os funcionários não estão dando mais conta de impedir que a água adentre as salas, pois a situação só piora. Ela disse que a promessa de obras para melhoria do prédio já tem mais de 15 anos.

Mesmo nessas condições, as aulas na Escola Estadual Santa Maria não foram interrompidas. Porém, o aprendizado certamente é prejudicado pois os alunos passam por situações absurdas, como precisar estudar [VIDEO] muitas vezes com os pés molhados.

No próximo ano, está previsto o funcionamento da escola em tempo integral para algumas turmas. Isso preocupa a comunidade escolar que não sabe como será a rotina dos alunos que ficarão cerca de seis horas diárias - ou mais - nestas condições.

Resposta da Secretaria de Estado de Educação

A Secretaria de Estado de Educação respondeu esclarecendo que a direção da escola informou somente nessa semana sobre a ocorrência de goteiras. E informou que entrará em contato com o órgão municipal responsável pelo prédio para que juntos possam analisar as condições do telhado e assim tomar medidas emergenciais para solucionar o problema.

A Secretaria Estadual de Educação também lembrou que outro bloco, que será integrado à escola para sua ampliação, está em fase de construção. A obra está parada no momento, mas com 80% do serviço pronto e logo haverá licitação para retomada das obras.

#Chuvas Torrenciais