Apesar do Governo do Distrito Federal cancelar o desfile das escolas de samba no #Carnaval deste ano, devido ao grande buraco nas contas públicas provocado pelo governo anterior, a população não desanimou e colocou os blocos na rua. O ponto alto da festa é a irreverência em relação aos escândalos ocorridos, essa é a oportunidade para criticar os políticos e a #Crise econômica do estado e do país.  Com muita criatividade na escolha de suas fantasias, os foliões brasilienses, candangos e turistas vão às ruas e mostram suas caras. 

O GDF não repassou o dinheiro aos carnavalescos para promover o tradicional desfile de escolas de samba, que por sinal vinha se desenvolvendo e prometia ser mais uma cidade de destaque no carnaval brasileiro. Em 55 anos de existência, é a quarta vez que não ocorre o desfile de carnaval e a primeira vez que a decisão do cancelamento vem do Governo Federal. 

Foram meses de ensaio das escolas, dos sambistas, com confecção de roupas, sambas enredos, eleição de rei momo e rainha de bateria para que no final fosse tudo em vão. Assim, inconformados, os cidadãos brasilienses - que em sua maioria são funcionários públicos - estão se organizando, inclusive em redes sociais e imprensa, para colocar os blocos na rua e aproveitarem para demonstrar a ira em relação à insatisfação ao Governo Federal e administração local. 

Fantasias de bandidos, de acionistas da Petrobras e de caçacorruptos combinaram com as letras de músicas criativas para animarem os blocos, a exemplo do bloco pacotão, cujos integrantes inspirados no governo anterior e atual cantam: "desgovernado continua o DF, saiu o Agnulo entrou o Enrolaumbeck...". Os blocos famosos como "Pacotão" e "Galinho", "Babydoll de Nylon" - representantes de vários estilos do carnaval brasileiro - prometem superar a quantidade de pessoas em relação ao ano passado, batendo o recorde de público. 

O carnaval deste ano retrata bem o espírito pretendido pela festa. São dias de relaxamento e a ideia principal é espantar as tristezas, esquecendo tudo por um breve período para extravasar. O carnaval é uma festa que reúne pessoas de todos os tipos, independente de diferenças de níveis sociais, culturais, acadêmicas, raciais, faixa etária, regionais e políticas.  É um momento único de congregação. É uma oportunidade de compartilhar esta alegria momentânea.