Desde o final de 2014 a crise na saúde pública vem atingindo a capital do país. O problema vem se arrastando de uma tal maneira que a Secretária de Saúde iniciou o ano de 2016 com um rombo de R$ 200 milhões de reais e um déficit de pelo menos R$ 500 milhões de reais no orçamento. A população tem sentido diariamente a falta de um atendimento de qualidade, para se ter uma ideia, dos 400 leitos de UTI (Unidade de terapia intensiva ), 21,25% estão desativados. No total são 850 medicamentos disponibilizados para a população, 65 se encontram com estoque zerado, sendo que 23 são considerados básico.  

A saúde pública do DF possui apenas um aparelho de ressonância magnética funcionando, no hospital de base (HBDF), que esta ativo há 16 anos.

Publicidade
Publicidade

O número de ambulâncias que atende a rede pública é de 54, não existe dois veículos para cada uma das 31 regiões administrativas. No total a pasta vem desembolsando R$ 15 milhões de reais somente com horas extras.

O #Governo do Distrito Federal aposta na troca de gestão na saúde pública para mudar o atual quadro de descaso que os pacientes enfrentam todos os dias. A ideia do governo é passar a gestão para organizações sociais (OS). Essa licitação deve ocorrer na segunda quinzena de janeiro. O governador do Distrito Federal, Rodrigo Rollemberg, admitiu que o setor é a maior preocupação do governo neste ano de 2016. A lei orçamentária anual prevê o valor de R$ 4,42 bilhões para o pagamento 34 mil servidores, R$ 1,64 bilhões para o pagamento de serviços e R$ 128 milhões para investimentos.

Não é de hoje que a saúde pública no país vem preocupando.

Publicidade

Vem ano, passa ano e a coisa não melhora, pelo contrário, apenas piora. A matéria foi feita a partir de uma visita aos hospitais da rede pública do Distrito Federal onde se observou pessoas passando mal sem a menor previsão de atendimento, falta de medicamentos, um verdadeiro caos. O que falta mesmo é pulso firme na gestão. Quando existe pulso firme tudo funciona muito bem, o cidadão paga seus impostos para receber em troca a boa educação para seus filhos, a segurança para sua família, saúde e lazer de qualidade. Mas a realidade que vivemos foge muito do que realmente deveria ser.

Quando não falta médicos, falta medicamentos, material, leito e aparelhos. Enfim a população enfrenta o descaso todos os dias na rede pública , é triste ver o que estas pessoas passam. Da vontade de ajudar, fazer algo por elas. Foi observado também  em uma das visitas uma mãe de família revoltada gritando no meio do corredor para tentar um atendimento digno para seu filho e o que ela conseguiu foi a risada do rapaz que estava na sala da diretoria do hospital.

Publicidade

É quando se pensa, na época da eleição os candidatos  invadem as casas dos brasileiros para pedir o voto da nossa família, eles são eleitos e o que o povo ganha em troca? Uma saúde de péssima qualidade. Não se sabe se essa situaçãi tem jeito de piorar mais ou se tem jeito de melhorar, o jeito é esperar e enquanto isso pessoas de bem são obrigadas a passar por estas situações de descaso e vergonha nas UPAS e Hospitais do DF e de outros estados. Uma situação lamentável. #sistema de saúde