Na última terça-feira (26), o jornal local da Rede Globo (DF) trouxe uma reportagem sobre a compra de motos da marca BMW pelo Detran. Foi anunciado pela reportagem que cada modelo estava avaliado na bagatela de R$ 46.324 reais. O Detran teria feito a compra de 14 unidades, que no total custou aos cofres públicos R$ 648,5 mil reais. O modelo escolhido foi o F800 GS Adventure. 

Atualmente a frota do Detran é composta por 38 motos, porém, são utilizadas pelos agentes apenas 24, pois as outras foram tiradas de circulação. As motos utilizadas são da marca Honda, modelo CB 600 F Hornet, que não é mais vendido desde 2014. 

O Detran justificou a compra dos modelos da BMW afirmando que eles tem as mesmas características dos da Honda.

Publicidade
Publicidade

Mas o G1 mostrou em uma reportagem divulgada na última terça-feira (26) que os modelos são bem diferentes um do outro em vários sentidos. Outra justificativa usada pelo órgão para a aquisição das motos foi o uso de uma ata feita pela Polícia Rodoviária Federal do Estado da Paraíba (PRF-PB) no ano de 2015. De acordo com a Polícia Rodoviária Federal, a ata 002/2015 fez uma cotação para a compra de 300 motos da Marca BMW modelo F800 GS Adventure. 

Como isso, o Departamento do Distrito Federal resolveu aderir  esta ata da Polícia Rodoviária Federal. Esta ata autoriza que os governos de outros Estados possam aproveitar os preços combinados por outros órgãos de outros Estados fazendo assim aquisições mais baratas. O Detran diz ter economizado R$ 189,8 mil reais com a compra.  

Ontem, diretamente da Capital Paulista, onde cumpriu uma agenda, o governador do Distrito Federal, Rodrigo Rollemberg, pediu ao Detran explicações pela compra das motos.

Publicidade

E nesta quarta-feira, logo após ter considerado as colocações de especialistas sobre motos, onde foi colocado que é possível conseguir modelos mais simples além de econômicos, o governador resolveu cancelar a compra das motos da marca BMW.

O processo agora será encaminhado para a Procuradoria Geral do Distrito Federal. Em nota, o governador disse que é preciso observar as características dos veículos, bem como valores investidos,, tendo em vista a atual crise financeira do Distrito Federal. Esta nota foi divulgada pelo site G1.  #Crise econômica