Na manhã desta quinta-feira, dia 12 de maio, a presidente da República Dilma Rouseff (PT) foi afastada por até 180 dias para ser julgada por crime de responsabilidade, podendo sofrer #Impeachment caso seja comprovada a veracidade. Com isso, seu vice, #Michel Temer (PMDB), assumiu interinamente durante este período o Poder Executivo brasileiro e deu posse para seus ministros logo após Dilma exonerar todos os responsáveis pelas pastas em Brasília. Temer chegou a ser criticado por ter fechado e aglutinado diverso ministérios, como o da Cultura e também o das Mulheres, Igualdade Racial, Direitos Humanos e Juventude. Por conta disso, Temer foi acusado de 'homofóbico' e 'machista' por não considerar como importante este ministérios.

Publicidade
Publicidade

Quem irá tomar conta desses assuntos será o Ministério da Justiça.

Governo religioso

Não é a primeira vez que Michel Temer é criticado por suas ações. E nem será a última. Em um dos boatos que foram propagados na internet, o atual presidente da República foi chamado de adorador do Diabo. Evangélico, ele já negou o fato, mas muita gente ainda não acredita nisso. Em seu discurso de posse para os ministros, ele falou sobre reforçar a independência dos Poderes Executivo, Legislativo e Judiciário, disse que irá promover avanços e não pretende jogar fora o trabalho de assistência social promovido por Dilma Rousseff e Lula durante os seus governos.

No final de seu discurso, Temer usou a religião como base de sua fala. Ele lembrou da origem da palavra religião, que vem do latim "religare". 

"Quando se é religioso você está fazendo uma religação.

Publicidade

O que queremos fazer agora com o Brasil é um ato religioso, um ato de religação de toda a sociedade brasileira com os valores fundamentais do nosso país", revelou.

Temer falou ainda que está pedindo a Deus para que todos sejam abençoados para enfrentar os desafios que o Brasil têm pela frente, na sustentação da economia e retomar o crescimento. Neste ano, Temer aproximou-se bastante da Bancada Religiosa, que preza por temas mais conservadores entre os parlamentares. Este foi um dos grupos fundamentais para que o impeachment de Dilma fosse levado ao Senado.

Em um dos momentos do discurso, Temer teve uma crise de tosse e acabou falando com voz estranha. Assista:

#Crise-de-governo