A presidente afastada por 180 dias pelo processo de impeachment, Dilma Rousseff, está pensando em seguir o mesmo rumo que o ex-presidente Fernando Collor de Mello, renunciar para evitar que fique oito anos inelegível caso o julgamento do Senado seja desfavorável ao seu parecer.

A renúncia de Dilma passou a ser uma alternativa depois que o Senado votou pelo seu afastamento do cargo de Presidente da República, confirmou uma fonte petista do alto escalão. A intenção de Dilma seria trilhar o mesmo caminho de Leonel Brizola, por quem ela sempre teve uma grande admiração. A ideia seria uma tentativa de governar o Estado do Rio Grande do Sul ou Rio de Janeiro, dando prioridade para o Rio Grande do Sul, estado onde ela já foi secretária e se radicou.

Publicidade
Publicidade

Caso se confirme a possibilidade de impeachment da petista, ela ficará inelegível por oito anos, por isso a sua renúncia seria uma "salvação". Com o ex-presidente Collor essa tentativa deu errado, pois o Senado ignorou a sua renúncia e manteve seu julgamento, aprovando o seu impeachment. Essa possível renúncia de Dilma ainda são rumores, a sua estratégia no momento é dizer que foi vítima de um "golpe" e manter a sua militância em protestos contra o presidente interino #Michel Temer.

Cuba

O governo cubano está liderando uma campanha contra o governo de Michel Temer. Cuba afirmou que o Brasil está sofrendo um "golpe" contra a democracia. Os diplomatas cubanos acusam Temer de ter "usurpado o poder", apoiado por uma imprensa imperialista. Cuba ressaltou que Dilma, Lula, o PT e todo o povo brasileiro podem contar com a solidariedade do país cubano.

Publicidade

Essa ofensiva de Cuba foi detalhada em e-mail e enviada para os altos dirigentes da Organização Internacional do Trabalho, secretaria da ONU, Cruz vermelha, Organização Mundial do Comércio, União Internacional de Telecomunicações e outras Instituições.

Itamaraty

O Itamaraty enviou, na semana passada, uma nota para os Ministérios de Relações Exteriores explicando que o afastamento de Dilma foi feito com base em um processo legal, respeitando a Constituição do país. A preocupação de Temer é mostrar a todos que não houve "golpe", conforme divulgações de #Dilma Rousseff. #Crise no Brasil