Nesta quinta-feira, 12, os brasileiros viveram um momento histórico e acompanharam o afastamento de uma presidente da república. Dilma Rousseff continua com o título, mas por 180 dias não manda mais no país. Quem agora é o presidente interino é Michel Temer, então vice. Ontem mesmo ele já assumiu o cargo, apresentou Ministros e disse o seu novo lema (nem tão novo assim): "Ordem e Progresso" . Enquanto Dilma fazia discursos e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva permanecia quieto e com cara de abatido, o deputado federal Eduardo Cunha (PMDB Rio de Janeiro) usava a internet para sacanear a agora presidente afastada. Ele usou o Twitter para comentar o momento difícil na carreira política de Rousseff.

Publicidade
Publicidade

"Boa tarde a todos. Apenas uma frase: Antes tarde do que nunca", escreveu ele no microblog de 140 caracteres. 

É bom lembrar que Eduardo Cunha e Dilma romperam ainda em julho do ano passado. Teoricamente, ele ainda caiu primeiro do que ela. Isso porque o Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu afastar o então presidente da Câmara, que sofre diversos inquéritos relacionados ao escândalo da Petrobrás. Cunha apesar de ser retirado da presidência da casa continua recebendo salários e tendo foro privilegiado, assim como Dilma. Ele só perde os direitos políticos (por enquanto) de parlamentar, não podendo, por exemplo, participar de nenhuma votação. Já Dilma também não assina mais decretos ou faz a nomeação de Ministros. 

Ela viajou para o Rio Grande do Sul, onde vai descansar com a família.

Publicidade

De acordo com a mídia, o objetivo do Partido dos Trabalhadores (#PT) é "exilar" a imagem da presidente afastada. Em discurso feito nesta quinta, ela voltou a chamar o processo de #Impeachment de golpe, relatando que irá lutar até o fim, pois tem a certeza que não cometeu qualquer crime de responsabilidade. Tecnicamente, Dilma pode voltar ao poder. Isso porque em até agora 179 dias, o Senado tem que realizar uma nova votação, que falará sobre a deposição da petista. Em 19 dias a presidente tem que apresentar sua defesa.  #Dilma Rousseff