Uma atitude do novo governo do presidente em exercício Michel Temer revoltou boa parte dos artistas brasileiros. Ele decidiu acabar de vez com o Ministério da Cultura e isso irritou celebridades conhecidas do país. A maioria delas já havia recebido algum benefício direto ou indireto da pasta. A pressão é tanta que o líder peemedebista já pensa em criar uma Secretaria para a Cultura, mas por enquanto, a pasta se uniu à educação. É bom lembrar que no passado, Educação e Cultura andavam juntas no governo e foram desmembradas justamente nos governos do Partido dos Trabalhadores (PT).

Pessoalmente, os artistas tem evitado manifestações públicas.

Publicidade
Publicidade

Conhecido pelo filme 'Tropa de Elite', Sandro Rocha destoou da maioria dos colegas, comemorando o fim da pasta. De acordo com ele, para conseguir benefícios do Ministério era sempre necessário conhecer alguém de dentro ou então pagar propina. "Já vai tarde", escreveu ele em uma rede social. Ele ainda mandou quem estava descontente com a extinção para ir trabalhar, pois assim teriam dinheiro.

Mas entidades que representam os artistas já decidiram até enviar uma carta pública para #Michel Temer. Duas delas reúnem nomes como Gilberto Gil, Caetano Veloso, Djavan, Leoni Chico Buarque e Fernanda Abreu (o grupo GAP e o Procure Saber). O principal destino da correspondência é falar sobre as necessidades de se separar a pasta da Educação com a Cultura. É bom lembrar que ainda durante o governo Dima, o Ministério discutia mudanças, como por exemplo, o fim da Lei Rouanet. 

Houve represália nas redes sociais às personalidades que apoiaram o #Impeachment da presidente afastada #Dilma Rousseff.

Publicidade

Uma foto que reuniu nomes como Susana Vieira, Marcelo Serrado e Márcio Garcia acabou virando Meme. Em entrevista ao jornal o Globo, Marcelo Serrado disse que existe um Fla x Flu no país que não vale a pena comentar. O ator chamou a atitude de momento de triste arrogância. Na foto que viralizou na internet, os famosos aparecem com a frase "Boa, acabamos com o Ministério da Cultura".