O ex-ministro do Supremo Tribunal Federal, Joaquim Barbosa, ficou preocupado com a atual situação do país depois que o Senado aprovou a admissibilidade do processo de #Impeachment da presidente Dilma. O ex-ministro, inclusive, chegou a questionar a forma como todo o processo foi conduzido, e mesmo tendo admitido que a petista falhou como presidente, afirmou que Michel Temer não tem legitimidade para governar o país.

De acordo com Joaquim Barbosa, o certo seria convocar novas eleições o quanto antes, só que ele sabe que o Supremo Tribunal Federal dificilmente aprovaria isto, pois sabe como as coisas funcionam por lá.

Nesta quinta-feira (12), Barbosa esteve em São Paulo onde participou de um evento para falar sobre as instituições financeiras e garantiu que foi uma coincidência muito grande que este evento tenha acontecido justamente no dia em que Dilma Rousseff deixou a presidência.

Publicidade
Publicidade

Aproveitando o clima que toma conta do país, ele então aproveitou para "provocar" os parlamentares.

Joaquim Barbosa disse que tem sérias dúvidas a respeito da integridade e também da adequação de todo o processo de impeachment contra Dilma pelo motivo pelo qual foi escolhido. Ele disse que até entenderia se o motivo fosse "cumplicidade e ambiguidade" em relação à corrupção que assola o país, só que o motivo não foi este.

De acordo com o ex-ministro, o motivo que levou ao impeachment da petista não é suficiente para afastá-la do cargo de presidente, pois o problema da irresponsabilidade fiscal está presente em todas as esferas, ou seja, seria preciso afastar muitos políticos também, começando pela maioria dos governadores.

Mas Barbosa também criticou #Dilma Rousseff, alegando que ela não soube conduzir o Brasil e muito menos ter um diálogo franco com a população, além de errar nas escolhas e governar apenas para o seu grupinho e os aliados.

Publicidade

Finalizando, Barbosa afirmou que Michel Temer não tem legitimidade alguma para governar o país e que é grave o fato de tirar a presidente e em seu lugar colocar um adversário oculto.

Você concorda? Deixe abaixo a sua opinião!