O ex-ministro do STF Joaquim Barbosa criticou duramente a maneira como foi conduzida o processo de impeachment da presidente Dilma Roussef, nesta quinta-feira (12), durante uma palestra que ministrou no VTEXDay (encontro do setor de comercio eletrônico de São Paulo). Aos ouvintes, afirmou que não concordava com 'essa sem-cerimônia' e que o povo não podia ter seu voto excluído.Segundo ele, do ponto de vista legal, o processo está correto, contudo, 'não é assim que se governa um país, precisamos do povo', disse o magistrado.

Barbosa ainda argumentou que esse momento retrata um outro muito parecido, com marcas de autoritarismo na história do Brasil, a Ditadura Militar (1964 -1985), onde o povo só tinha o direito de assistir.

Publicidade
Publicidade

E acredita que ao longo do tempo as pessoas irão analisar e decidir se foi 'justo ou injusto' um processo que ele mesmo duvidava sinceramente. O ex-ministro se diz a favor das eleições diretas, onde o povo tem o poder de decidir, mas acredita que o STF (Superior Tribunal Federal) não acataria tal decisão por ser inconstitucional.

Joaquim Barbosa afirma que aconselhou #Dilma Rousseff a renunciar o mandato bem antes desse desfecho trágico. Se ela renunciasse fatalmente levaria o vice, Michel Temer, afirmou, dizendo ter certeza que o povo daria todo apoio a ela. Suas críticas também se estendem a presidente afastada por ter sido omissa, silenciar ante os desmandos de sua base aliada. Mesmo achando que Dilma não tenha feito acordos corruptos, diz que ela não soube ficar distante do ambiente nocivo a sua volta.

Publicidade

Quanto ao presidente interino, Michel Temer, também recebeu duros comentários por parte do magistrado, que falou da gravidade de se tirar um presidente e no lugar colocar um 'inimigo oculto', uma pessoa que jamais poderia sonhar em ser presidente. 'O Brasil terá de conviver por mais dois anos com essa anomalia', lamentou Barbosa. E continuando com as críticas o ex-ministro afirmou que a Operação Lava-Jato não garante o fim da corrupção, porque isso é impossível em nosso país. #PT #Impeachment