Um grupo pequeno de manifestantes do Partido dos Trabalhadores (PT) e favoráveis à presidente afastada Dilma Rousseff acabou realizando uma ação que já tinha sido prevista através de uma reportagem do site da revista Veja. No fim da tarde desta quinta-feira, 12, os que protestavam tentaram invadir o Palácio do Planalto, em Brasília. Objetivo do grupo era o de impedir o discurso do presidente em exercício #Michel Temer, que apresentou sua equipe Ministerial. De acordo com o site Diário do Poder, os petistas derrubaram a grade de segurança que separa o Palácio do Planalto da via pública. Em seguida, eles  tentaram subir a rampa do Planalto, mas foram impedidos pela Polícia Militar do DF, além dos seguranças da Presidência.

Publicidade
Publicidade

Segundo o UOL, cerca de dez pessoas foram detidas. Enquanto isso, um grupo um pouco maior, composto por 70 manifestantes, ainda estava na Praça dos Três Poderes para fazer um ato contra Temer. Mais cedo, durante o discurso de afastamento de #Dilma Rousseff, cerca de três mil manifestantes gritaram juntos "Fora Temer". Ele não pareceu tão abalado em seu discurso, dizendo que trabalharia com a constituição e também dialogando bastante. Aliás, o diálogo foi um dos maiores problemas durante o governo de Dilma. Em seu discurso, ele fortaleceu ainda que continuaria com os programas sociais que deram certo, citando o 'Bolsa Família' e o 'Minha Casa Minha Vida'. 

Além do discurso, Michel Temer apresentou sua nova equipe ministerial. Chamou a atenção a presença de Aécio Neves no discurso.

Publicidade

Sem qualquer cargo no governo, ele foi um dos primeiros a cumprimentar o presidente em exercício. Tal fato gerou muitas críticas nas redes sociais, já que na eleição de 2014, Aécio perdeu justamente para Temer e Dilma. A derrota levou a supostas irregularidades no pleito e mais tarde o mandado de número dois de Rousseff começou a ficar em risco.

Dilma nesse meio tempo mudou seu discurso. Inicialmente, ela dizia ter certeza que confiava muito em Temer. Depois chegou a chamar ele de "conspirador".  #Impeachment