O Movimento dos Sem-Terra (MST) já deixou a Fazenda Esmeralda, localizada no interior de São Paulo, mais precisamente na cidade de Duartina. No entanto, sem antes provocar uma grande polêmica. De acordo com a polícia civil, a propriedade teria sido depredada e animais abatidos. A Fazenda, segundo o MST, teria ligação com o presidente em exercício #Michel Temer, do PMDB. A assessoria do peemedebista diz que o local é de um amigo dele, o ex-coronel da Polícia Militar João Baptista Lima Filho. A fazenda tem mil e quinhentos hectares e foi invadida no dia 09, sendo desocupada no domingo, 15. A saída aconteceu depois de uma determinação judicial.

Publicidade
Publicidade

A justiça havia autorizado uso de força policial e multa para quem insistisse em ficar na propriedade alheia 

O Movimento diz que encontrou documentos no local que indicariam que Temer é uma espécie de sócio oculto da propriedade. Segundo a polícia, motosserra foram furtadas, além de câmeras de vigilância e outras ferramentas. O roubo foi acompanhado de danificação de diversos outros itens, de cercas, veículos e até um trator. Carcaças de bois também foram encontradas. Há suspeita é que um grande churrasco teria sido feito durante os dias em que os manifestantes permaneceram no local. 

Pichações nas casas dentro da fazenda também foram realizadas. Não foram contabilizados os animais que teriam sido mortos para o consumo. Quem está cuidando do caso é Luis Carlos Amado, delegado da Polícia Civil.

Publicidade

Ele já mandou que a perícia fosse realizada no local, para saber o que foi destruído. Mesmo com fotos de pichações e depredações, o MST alega que tudo isso é mentira. Em nota, o movimento diz que a invasão foi legítima e que não houve qualquer destruição. Eles chamam a #Manifestação de pacífica e acusam os proprietários do local de terem funcionários em regime de trabalho análogo ao da escravidão, além da plantação de eucalipto supostamente danificar o solo. 

O aumento de invasões do MST aumentou na década de 90, com o primeiro governo de Fernando Henrique Cardoso. O assunto virou tema principal da novela das nove 'O Rei do Gado', exibida na época pela TV Globo.