Embora o presidente em exercício Michel Temer tenha dito na sua primeira reunião ministerial realizada nesta sexta-feira, 13, que a foto oficial da presidente afastada #Dilma Rousseff será mantida em todos os lugares do Palácio do Planalto,  funcionários de alguns gabinetes do peemedebista e também da Esplanada tentaram retirá-la. O movimento é para esquecer momentos ruins do passado e não ter que olhar para o rosto de Rousseff todos os dias. No entanto, os partidários da petista fizeram uma "pegadinha". Ao tirar o Porta-Retrato da parede, a equipe de Temer encontrou o seguinte recedo: “Conspiradores e golpistas, a História não os absolverá”.

Publicidade
Publicidade

De acordo com uma fonte da Blasting News, a pegadinha conseguiu um dos seus efeitos, que foi fazer a equipe de Michel dar boas risadas. Depois disso, o papel colado atrás da moldura foi retirado e jogado no lixo. Já a foto de Dilma acabou indo parar no almoxarifado. Ainda não se sabe o que será feito com tantos porta-retratos, mas uma boa dica seria fazer uma reciclagem e reaproveitá-los, ou alguém duvida que Temer não vai querer a foto dele estampada em gabinetes de Brasília?

Depois de quase 14 anos no governo, o Partido dos Trabalhadores (PT) voltou a fazer o que sabe muito bem, o movimento de oposição. Antes de assumir a presidência, por exemplo, a legenda pediu o #Impeachment de todos os presidentes desde a redemocratização. O partido também é aliado de movimentos populares, o que ajuda a ter grande efetivo nas ruas.

Publicidade

Os mais conhecidos apoiadores do PT são a Central Única dos Trabalhadores (CUT) e o Movimento dos Sem Terra (MST).

Apesar do apoio, no entanto, espantou ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva o baixo número de manifestantes durante o discurso de Dilma após o seu afastamento do lado externo do Palácio do Planalto. De acordo com informações da Polícia Militar do Distrito Federal, 3 mil pessoas estavam no  local. A expectativa era bem maior. Um dias antes do pronunciamento, o Senador Lindbergh Farias falava em 10 mil pessoas como quórum "contra o golpe".  #Michel Temer