Nem todo mundo aceitou bem o afastamento da presidente da república Dilma Rousseff do poder. Nesta quinta-feira, 12, por exemplo, acabaram vazando conversas na internet de grupos do WhatsApp. Neles, grupos vinculados ao Partido dos Trabalhadores (#PT) uma convocação para que militantes, parlamentares e ex-ocupantes de cargos de confiança do governo da agora presidente afastada para que "ocupem” o Palácio do Planalto, em Brasília. O objetivo da ocupação seria tentar impedir a posse de Michel Temer e do novo ministério, o que foi realizado nesta tarde. A informação foi confirmada pela coluna Radar do site da Revista Veja. 

Em redes sociais, dirigentes conclamam os simpatizantes do PT a “reagir” ao “golpe".

Publicidade
Publicidade

Além disso, os simpatizantes de Dilma e do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva ficaram irritados com as poucas pessoas que acabaram indo ver o discurso de Rousseff. Nesta quarta-feira, 11, o Senador Lindbergh Farias chegou a dizer que a expectativa é que pelo menos dez mil pessoas fossem na região. No entanto, não foi isso o que aconteceu. De acordo com estimativas da Polícia Militar do Distrito Federal, pelo menos três mil pessoas foram ao local, apenas 30% do esperado. O número era tão pequeno que deu para Dilma ter tempo de abraçar os fãs, que a cada dia diminuem. 

Na terça-feira, 10, quando Rousseff fazia o lançamento de novas universidades, um grupo ainda menor, de cem pessoas, chegou a invadir o Palácio do Planalto. A negociação da saída foi feita com o próprio PT. No fim de algumas horas, os que protestavam deixaram o local de forma ordeira.

Publicidade

Não sei antes hastearem bandeiras no local.

A presidente foi afastada com 55 votos, tendo a apenas 22 votos a seu favor. O número foi maior até do que o esperado pela oposição, que ficou muito contente com o resultado. Isso porque em até 180 dias acontece uma nova votação, a que falará se Rousseff será ou não deposta. Para que haja a deposição são necessários 54 votos, um a menos do que foi registrado em uma sessão onde quatro Senadores não votaram.  #Dilma Rousseff #Impeachment