O senador Tasso Jereissati (PSDB-CE) concedeu, nesta segunda-feira, dia 16, entrevista ao jornal Estadão, na qual falou sobre as suas expectativas quanto ao #Governo de Michel Temer, que se iniciou na semana passada. O parlamentar alerta para o fato de que o atual dirigente deverá ser bastante cauteloso ao implantar as medidas que são necessárias para a recuperação do país. Ele apoia a elaboração de reformas e, no campo político, criticou o atual sistema de governo, com objetivo de coalisão e bastante utilizado pelo governo anterior. O senador defende o Parlamentarismo como forma de fortalecer os partidos, que se enfraqueceram diante da crise que atingiu também o poder legislativo.

Publicidade
Publicidade

Tasso Jereissati declarou que, diante do novo governo, não consegue esconder os seus anseios quanto ao governo Temer que se inicia agora. Ele demonstrou preocupação quanto ao fato de Temer não gozar de uma boa popularidade entre a maioria da população brasileira. Por isso, defende que seja dado um prazo para que o atual presidente interino possa começar a trabalhar com sua equipe e que as medidas anunciadas possam surtir efeito. Mesmo admitindo que qualquer erro poderia ser fatal, o tucano afirmou que um sentimento esperançoso toma conta neste difícil começo.

O modelo de presidencialismo pró-coalisão já está falido, de acordo com o senador tucano

Com relação ao atua sistema de governo, Tasso é bastante crítico e afirma que tentar governar loteando cargos públicos não dará resultados.

Publicidade

A prova disso está aí. O senador criticou o governo anterior, entretanto, sem citar nomes e a crise está aí instalada. Ele defende a manutenção de um ministério forte, que traga credibilidade e sem a nefasta sombra da corrupção.

Durante a entrevista, o senador foi bastante enfático ao afirmar a defesa do parlamentarismo. Este novo modelo de governo será a solução definitiva para que o país não precise enfrentar um processo tão traumático quanto o impeachment. Para o parlamentar, "o presidencialismo de coalisão", como é adotado na atualidade, já acabou. Para isso, reformas são necessárias para se adequar ao novo sistema que, segundo Tasso, começa a aumentar a preferência entre os brasileiros.

Tasso afirmou que seu partido, o PSDB, apoia o governo de Michel Temer e defende que a maior prioridade, agora, seria a aprovação das reformas. Ele citou como exemplo, a da Previdência, que seria importante até para se diminuir o crescimento  da dívida pública.

O tucano aproveitou para criticar a postura atual do PT e de Dilma e a acusou de reagir com certo sentimento de irracionalidade, principalmente, ao adotar uma postura que tenta trabalhar contra o atual governo. Segundo Tasso, seria o momento da sigla repensar suas atitudes, reconhecer as próprias falhas e, assim, poder voltar a ocupar o seu lugar dentro do cenário político brasileiro. #Reforma política #Crise no Brasil