É inacreditável a que ponto algumas pessoas são capazes de chegar para tentar impedir o fim de um relacionamento. Vemos muitos casos de homens que partem para a agressão física ou psicológica, outros ameaçam matar ou até mesmo matam para que a pessoa 'amada' não seja de mais ninguém, e agora surgiu um caso em que um homem alegou ter transmitido o vírus #HIV para a namorada para que ela não o largasse. Ele sabia que tinha o vírus e, mesmo assim, manteve relação sexual sem preservativo, já na intenção de contaminar a namorada, para que ela não o abandonasse. 

Esse triste caso ocorreu no Distrito Federal e o homem foi condenado pela #Justiça do Estado por passar intencionalmente o vírus da #AIDS para a namorada.

Publicidade
Publicidade

O acusado responde por lesão corporal gravíssima e foi condenado a 2 anos de prisão. Ele ainda poderá recorrer ao STJ - Superior Tribunal de Justiça.

Segundo informações dos autos do processo, o casal se relacionou durante três anos, de 2009 a 2011. No mês de março de 2010, a mulher teria recebido uma mensagem de celular da ex-mulher do acusado, onde ela dizia que o ex-marido possuía o vírus HIV.

O homem negou tudo à namorada, mas, 4 meses depois, a jovem encontrou dentro do armário dele uma caixa contendo medicamentos para o vírus. Ela novamente confrontou o rapaz, que falou que recebeu remédios errados por erro no diagnóstico médico. 

Somente depois da mulher muito insistir foi que o rapaz aceitou fazer o exame, juntamente com ela, para detectar a presença do vírus. Os dois receberam o diagnóstico positivo, ambos estavam contaminados pelo HIV.

Publicidade

A mulher denunciou o rapaz e ele chegou a confessar na delegacia que descobriu que tinha o vírus no ano de 2004, mas que mantinha sexo sem preservativo com a mulher, pois não queria perdê-la.

Segundo depoimento do homem, ele sempre acreditou que se a mulher soubesse que ele era soropositivo, ela iria querer se separar. Ele relatou que sabia que mantendo relações sexuais com ela sem proteção, estava colocando a saúde dela em risco. Na hora do julgamento, o homem negou tudo que já havia falado em depoimento na delegacia.