A Honda acaba de relevar, na Indonésia, o novo BR-V que chega com sete lugares e preços que vão de 230 a 265 milhões de rúpias – o equivalente a valores entre R$ 57.210 e R$ 65.850. O utilitário-esportivo (SUV) foi revelado no GAIKINDO Auto Show, em Tangerang, ainda como um protótipo, mas tudo indica que a versão comercial – que só começa a ser produzida na fábrica de Karawang em janeiro do ano que vem – será praticamente idêntica à mostrada no salão. Seu desenho conservador, até certo ponto ultrapassado, dá a deixa de que trata-se de um veículo desenvolvido para mercados emergentes. “Desenvolvemos um produto inédito para atender todas as exigências do mercado indonésio”, enfatizou o diretor-presidente da marca no país, Tomoki Uchida.

Publicidade
Publicidade

Apesar de o nome BR-V sugerir um parentesco com o HR-V e CR-V, esta é uma família com linhagens distintas. Enquanto o HR-V usa a mesma base do Fit e o CR-V usa a plataforma do Civic, o BR-V adota a base do Brio, modelo popular feito na Indonésia, na Índia e Tailândia, que ocupa uma posição mais baixa que a do nosso Fit na “cadeia alimentar” da marca.

O novo utilitário-esportivo é equipado com a motorização 1.5 litro 16V (i-VTEC) de 121 cv, combinada ao câmbio manual de seis marchas ou à transmissão automática (CVT) de variação contínua, e apesar de oferecer apenas bolsas infláveis frontais, traz controle eletrônico de estabilidade (VSA) e auxílio de arranque em aclives (HSA), além de freios ABS com distribuidor de carga (EBD). Suas vendas começam em 2016 e seu lançamento em outros países, como a Malásia e Índia, já foi confirmado pela Honda.

Publicidade

Na Ásia, o novíssimo Hyundai Creta, o Renault Duster e o S-Cross, da Suzuki, estão na mira do BR-V. “Acreditamos que a combinação do estilo e da dirigibilidade de um utilitário-esportivo com o espaço interno de um monovolume farão deste lançamento um grande sucesso comercial”, aposta Uchida.

O BR-V é mostrado, na Indonésia, ao mesmo tempo em que o CR-V 2016 é apresentado, no Brasil. Sem grandes novidades, a fileira de LEDs para iluminação diurna e o navegador por satélite (GPS) integrado à central multimídia são os “grandes” destaques, o SUV encareceu quase R$ 20 mil e chega por R$ 134.900 na versão EXL 4x4 – cerca de R$ 8 mil a mais que um Audi Q3. Para quem assustou com este valor, a Honda vai importar 120 unidades da versão LX, mais pobre e com tração apenas dianteira, por R$ 115.100. Uma boa pedida para quem está rasgando dinheiro. #Automobilismo #Inovação #Tendências