Imagine um automóvel que jamais precise ser reabastecido. Agora imagine esse modelo na “pele” de um esportivo, capaz de acelerar de 0 a 100 km/h em menos de 7 segundos e alcançar uma velocidade máxima superior a 150 km/h. Bom, a EVX Ventures, uma parceria entre pesquisadores da Universidade Swinburne de Tecnologia, em Melbourne (Austrália), e um grupo engenheiros australianos do Aurora Team, que já desenvolveram protótipos premiados movidos a energia solar, acaba de apresentar o Immortus. Trata-se de um carro pós-apocalítico que promete deixar o mundo automotivo de cabelos em pé, em novembro deste ano, quando fará sua primeira aparição no Salão Norte-Americano dos Acessórios (SEMA), em Las Vegas.

Publicidade
Publicidade

De acordo com seus desenvolvedores, o Immortus terá autonomia ilimitada. Isso, é claro, durante dias ensolarados e a uma velocidade média de 60 km/h – a 85 km/h, seu “alcance” cai para 550 quilômetros. Para rodar à noite, o esportivo movido a energia solar contará com dois motores elétricos de 20 kW cada, o equivalente a uma potência combinada de 55 cv, alimentados por uma única bateria de íon de lítio e fósforo. No modo “noturno”, ele roda até 400 quilômetros sem necessidade de recarga.

Não somos uma montadora, como a Tesla – fabricante norte-americano de modelos elétricos de alto luxo e performance. Somos uma butique de criação automotiva e pretendemos investir entre US$ 5 milhões e US$ 10 milhões – algo entre R$ 17,5 milhões e mais de R$ 34 milhões – para produzirmos este modelo em volume muito reduzido. Ao todo, não planejamos construir mais do que 100 unidades do Immortus”, conta o presidente-executivo (CEO) da EVX Ventures, Barry Nguyen.

Publicidade

Ele estima um preço final de US$ 370 mil, o equivalente a quase R$ 1,3 milhão, para cada unidade.

O Immortus pesará 550 quilos, terá as rodas cobertas para redução do arrasto aerodinâmico, pneus de baixíssima resistência à rolagem e um desempenho próximo do Mazda MX5 ‘Miata’, esportivo compacto que é uma referência nos mercados australiano e norte-americano. A força motriz do modelo vem do painel fotovoltaico de sete metros quadrados que se estende da ponta do capô até a tampa do porta-malas, cobrindo quase toda sua superfície.

Sua produção também será inovadora, com uso de partes ultraleves em fibra de carbono. “Vigas feitas em impressoras 3D vão completar a estrutura, facilitando sua montagem e reduzindo os custos”, explica o gerente técnico de desenvolvimento, Clint Steele. “Nosso desejo é que o Immortus seja montado por empresas especializadas, que fiquem próximas dos clientes. Podemos enviar os componentes para montagem ou o projeto, por e-mail, para impressão local em 3D”, complementa. #Automobilismo #Inovação #Curiosidades