Se o leitor achou que o eclipse lunar da madrugada de segunda-feira foi superestimado, é melhor não criar grandes expectativas em relação à Duster Oroch, primeira picape leve da Renault brasileira, que já pode ser encomendada nos revendedores da marca por preços a partir de R$ 62.290. O modelo foi cantado em verso e prosa como um divisor de águas, uma caminhonte média - categoria em que se inserem S10, Ranger e Hilux, entre outras - com preço de pequena. Bom, é verdade que o utilitário chega com valores competitivos, bem abaixo do que se imaginava, mas compará-lo com os grandalhões da Chevrolet, Ford e Toyota é o mesmo que comparar um teco-teco com um jato executivo.

Publicidade
Publicidade

Definitivamente, não dá.

A Oroch pode ser descrita como um Duster com carroceria no lugar do porta-malas. Trata-se, basicamente, de uma versão com caçamba do utilitário-esportivo (SUV), com o mesmo espaço interno e os mesmos conteúdos do modelo que lhe empresta a base, mas muito longe da robustez e da capacitação de uma picape média de verdade. Melhor do que as versões com "cabine pseudodupla" de Strada e Saveiro ele é, afinal tem quatro portas de verdade e cinco lugares, mas a própria Fiat já tem pronta uma nova caminhonetinha nos mesmo moldes desta, da Renault.

Com capacidade de carga de 650 quilos, a Oroch foi esticada em relação ao Duster. São 36 cm a mais, no comprimento, e 15 cm a mais, na distância entre-eixos. A suspensão traseira é independente, como na versão 4x4 do SUV, e a capacidade volumétrica da caçamba, de 683 litros, é bem maior que a do porta-malas do utilitário-esportivo.

Publicidade

Há ainda um extensor, ofertado como acessório, que permite o transporte de até duas motocicletas na carroceria.

Os motores bicombustíveis 1.6 litro 16V de 115 cv, combinado exclusivamente ao câmbio manual de cinco marchas, e 2.0 litros 16V de 148 cv, combinado exclusivamente ao câmbio manual de seis marchas, são os mesmos do SUV e até mesmo o alinhamento da gama traz as mesmas versões:

Expression (a partir de R$ 62.290 e equipada exclusivamente com o propulsor de 115 cv), e Dynamique (a partir de R$ 66.790, se equipada com motorização 1.6 litro 16V, e a partir de R$ 70.790, se equipada com motorização 2.0 litros 16V). Por enquanto, a Oroch só está disponível com tração dianteira, mas em breve, a linha ganhará uma versão 4x4 (AWD). Câmbio automatizado e/ou transmissão automática também ficam para o futuro.

A versão básica, Expression, traz banco do motorista com ajuste de altura, volante regulável (só em altura) com comando do sistema de áudio, diração hidráulica, ar-condicionado, travas e vidros elétricos, rádio com CD, leitor MP3, entrada USB e viva-voz Bluetooth para telefone celular, desembaçador traseiro, barras de teto e protetor de caçamba como itens de série.

Publicidade

Opcionalmente, ela oferece faróis auxiliares e retrovisores elétricos (que saem por R$ 700).

Os modelos topo de linha, Dynamique, acrescentam volante e couro, sistema multimídia Media NAV Evolution, computador de bordo, controlador de velocidade (piloto automático), sensor de estacionamento e rodas de liga leve a todo conteúdo disponível para a versão de entrada. Seus opcionais incluem bancos em couro, protetor frontal com faróis adicionais (de profundidade) e capota marítima. Há ainda outros acessórios, como estribos, caixa para a caçamba e câmera de ré, entre outros.

A Oroch é uma espécie de utilitário-esportivo mutilado. Custa R$ 2.300 a mais que o Duster e não é, nem de longe, uma picape média. A clássica "meia-bomba". #Negócios #Automobilismo #Inovação