A Itália é a pátria do design e da exclusividade, especialmente sobre rodas. Pois o Salão do Automóvel de Turim, que vai até domingo, com um formato inovador – os carros são expostos a céu aberto no Parco Valentino – é o palco da apresentação oficial de mais um modelo cheio de superlativos e destinado a muito poucos (e afortunados) clientes. O Evantra Millecavalli é a mais nova criação da pequena fábrica de esportivos criada por Luca Mazzanti, que leva seu sobrenome.

O Millecavalli é a segunda criatura saída do ateliê de Mazzanti, na cidade toscana de Pontedera, próxima a Pisa, e levou os conceitos do Evantra original ainda mais longe.

Publicidade
Publicidade

O segundo nome não é sem motivo: o V8 de 7.200cc biturbo despeja 1.000cv nas rodas traseiras, fazendo dele o mais potente modelo já concebido na Itália. Chassi e carroceria são feitos em aços leves – o conjunto não pesa mais do que 1.300kg, o que garante números como a velocidade máxima estimada em 405km/h. Assim como acelera num piscar de olhos, ele também freia de forma impressionante – vai dos 300km/h à imobilidade total em sete segundos, graças aos discos em carbono-cerâmica.

O mais interessante da história é que a construção do primeiro protótipo foi tornada possível graças a três futuros donos que resolveram reservar o superesportivo antes que ele deixasse as telas dos computadores. O interior é personalizado conforme o desejo do cliente, já que a exclusividade é uma das principais preocupações.

Publicidade

“Desde menino desenhava carros e imaginava um dia poder fazê-lo de verdade, com um estilo inconfundível que refletisse minha forma de interpretar um automóvel esportivo. Queria algo que espelhasse a personalidade do dono e lhe proporcionasse sensações únicas ao volante”, explica Mazzanti, pai do Millecavalli. O modelo vai iniciar em breve os testes em pista e estrada, quando os números prometidos serão finalmente confrontados com a realidade.

Tanta esportividade e exclusividade (apenas 25 unidades serão produzidas) têm seu preço. Que, embora ainda não confirmado oficialmente, deve ficar na casa de 1,5 milhão de euros, cerca de R$ 6 milhões. Digno de uma obra-prima. #Automobilismo