Agora virou moda: com o advento das redes sociais, nada melhor do que usá-las para democratizar uma experiência que antes era exclusiva de jornalistas e convidados. Assim, várias montadoras de veículos optam por transmitir ao vivo o lançamento de seus novos modelos, fazendo com que o consumidor não perca um detalhe e possa formar sua opinião por conta própria. Especialmente num momento em que a economia global dá sinais de instabilidade e as vendas nem sempre mantém a tendência positiva esperada. Pois na semana que vem (dia 29, para ser mais exato), a Citroën vai revelar ao mundo a nova geração do compacto C3, para brigar em um segmento cada vez mais popular e atrativo – carros menores, que ocupam menos espaço nos estacionamentos e se adaptam à confusa mobilidade das grandes cidades.

Publicidade
Publicidade

É não é exagero falar em revolução, já que o novo C3 terá em comum com o antecessor (atualmente a venda também no Brasil) apenas a motorização três cilindros 1.200cc Puretech, em várias versões, com potência e torque específicos. No mais, ele aproveita a plataforma do "primo" Peugeot 208 para se aproximar bastante das linhas do modelo da outra marca do Grupo PSA. A dianteira apresenta a nova linha de estilo da casa do "Double Chevron": farois e grade afilados e pequenos – um segundo par de luzes, colocado logo abaixo, deve garantir a iluminação no nível necessário. Ele será maior do que o atual C3 – há quem aposte que pode esticar de cinco a sete centímetros, o que é sinônimo de acesso mais fácil e maior conforto para os passageiros do banco traseiro. A lanterna traseira composta num elemento horizontal e outro vertical dá adeus, substituída por um elemento quadrado, inspirado no premium DS3.

Publicidade

O mais curioso da história é que a fabricante francesa começou a desfazer o mistério revelando a versão que está sendo testada para estrear no Mundial de Rally (WRC), em 2017. Um C3 com as laterais proeminentes e uma imensa asa traseira em fibra de carbono, como permite o regulamento da competição – o modelo de rua terá aparência bem mais modesta e menos agressiva. Com uma camuflagem púrpura psicodélica, fica difícil ter uma noção exata das formas definitivas, o que ocorrerá daqui a uma semana, pelo perfil da marca no Facebook (e é bem provável que a máquina para os ralis dê as caras também). Sobre a chegada do novo C3 ao Brasil, apesar do silêncio da Citroën, é mais do que provável, e dá para apostar que ele estará no estande da fábrica no Salão do Automóvel de São Paulo para testar a reação do público. Num primeiro momento, é bem possível que as duas gerações convivam, com a segunda ganhando a condição de opção mais acessível. #Automobilismo