Atração sul-coreana no Salão do Automóvel de São Paulo 2016, o #Hyundai Ioniq foi apresentado apenas na versão híbrida. Além da ecológica plug-in, há a elétrica com apenas 200 km de autonomia. Desde que anunciaram sua apresentação na conferência de imprensa no Salão de Los Angeles, seu design elegante se assemelha à restante linha IONIQ, com a tecnologia LiDAR oculta no para-choque dianteiro, em vez de no capô, mantendo estética agradável ao veículo.

O conceito de #Piloto automático no IONIQ é simples. Seu radar frontal do Cruise Control Inteligente e com as câmaras do Sistema de Manutenção na Faixa de Rodagem (LKAS), integrados com tecnologia LiDAR, foi feito com intuito de usar menos recursos.

Publicidade
Publicidade

Como resultado terá plataforma que pode ser instalada nos futuros modelos da marca ao consumidor médio. A Hyundai obteve no início deste ano licença para testar seus veículos autônomos em ambientes urbanos e atualmente testa três IONIQs no Centro de Pesquisa e Desenvolvimento da Hyundai em Namyang, na Coreia do Sul. Para fazer uma demonstração dos seus veículos autônomos em ação, a Hyundai apresentará dois IONIQ Autônomos no Consumer Electronics Show (CES) em janeiro de 2017, onde poderão circular pelas avenidas de Las Vegas. Os testes em Las Vegas se basearão nos atuais esforços da Hyundai a tornar o veículo autônomo mais hábil e seguro ao mercado.

O sistema LiDAR oculto permite ao IONIQ detectar posição exata dos veículos e objetos circundantes. Também com Radar Dianteiro que detecta a localização relativa e velocidade dos objetos que no trajeto do veículo a auxiliar no planejamento da rota; um conjunto de três câmaras detectam a proximidade dos obstáculos, linhas da faixa de rodagem e sinais de trânsito; antena GPS a determinar localização precisa de cada veículo; cartografia de alta definição da Hyundai MnSoft que fornece maior precisão na localização, curvatura da estrada, largura da faixa de rodagem e indicações; e radar de Detecção de Ângulo Morto (BSD) para assegurar que até as mudanças de faixa de rodagem simples sejam executadas em segurança.

Publicidade

Também oferece ABS com detecção de obstáculos, Cruise Control Inteligente (SCC), Aviso de Saída da Faixa de Rodagem (LDWS) e Alerta de Tráfego na Retaguarda de Veículo (RCTA). Preparados a responderem a elevados níveis de tráfego de obstáculos, semáforos, sinais e zonas escolares, estradas em obras e com bloqueios, redutores de velocidade, cães soltos, crianças brincando, centros comerciais e interseções sem sinais de trânsito.

A montadora demorou a desenvolvê-lo, diante da rápida evolução deste segmento e do alcance das baterias de lítio. Assim muitos consumidores americanos antes mesmo deste modelo chegar, o consideram quase “natimorto”. Mas sua salvação virá apenas em 2018, quando a Hyundai promete alcance acima de 320 km para a versão elétrica. A manobra enquanto queima a imagem do produto logo no lançamento de compradores do primeiro lote, só reverterá o mico se a marca prover devida atualização e, de quebra, sem custo. A marca terá que correr contra o tempo, pois a Nissan terá a segunda geração do Leaf também com mais de 320 km de autonomia, esperados 400 km de alcance.

Publicidade

Por enquanto, o destaque no segmento de baixo custo #elétrico é o Chevrolet Bolt, com promessa de 383 km de autonomia no padrão EPA, superando até mesmo a previsão do Tesla Model 3, de 346 km. Em todos esses, o sistema elétrico é nativo, enquanto o Ioniq é uma mescla com versões híbridas e com foco direcionado no Toyota Prius.