A partir desta terça-feira (1º), as #multas de trânsito ficarão mais caras para o motorista. O aumento, divulgado em maio, será de até 66% em algumas infrações. Os valores irão de R$ 88 (infração leve) a R$ 293,47 (infração gravíssima). Algumas infrações serão agravadas; o uso do celular ao volante, por exemplo, passou de média para gravíssima. De R$ 85,13 para R$ 293,47, a alta de quase 245% veio para pesar no bolso daqueles motoristas que ainda teimam em dar uma olhadinha nas redes sociais enquanto estão parados no farol. A pontuação da carteira de habilitação também mudou para o uso do celular, passando de 4 para 7 pontos.

O texto incluiu o termo “manuseando” justamente para punir os viciados em rede social.

Publicidade
Publicidade

A multa para os que estacionam em vagas de idosos ou deficientes também aumentou na gravidade e no preço, assim como estacionar em local reservado, sem carteirinha de identificação, que agora é infração gravíssima com multa de R$ 293,47, além de ter o veículo guinchado.

As multas para quem for pego nas motos de 50cc e não possuir CNH na categoria A ou autorização ACC (para Conduzir Ciclomotores), também começarão a ser aplicadas.

Novos valores de multas

Infração leve - De R$ 53,20 para R$ 88,38 (aumento de 66%)

Infração média - De R$ 85,13 para R$ 130,16 (aumento de 52%)

Infração grave - De R$ 127,69 para R$ 195,23 (aumento de 52%)

Infração gravíssima- De R$ 191,54 para R$ 293,47 (aumento de 53%)

Em outubro, o #Contran definiu que ouvir música muito alta no carro pode gerar uma multa de R$127,69 e mais 5 pontos na CNH.

Publicidade

A pena será aplicada mesmo sem a comprovação do volume exato, que antes era feita através de um aparelho chamado decibelímetro. Agora, o agente de trânsito vai apenas verificar de próprio ouvido se o som atrapalha os demais motoristas e pedestres e fará a multa, escrevendo no auto da infração que foi constatado o barulho.

As multas de trânsito não sofriam reajuste desde 2000, quando o Ufir - indexador do valor das multas – foi extinto. Em 2002 o valor foi fixado em reais e, desde então, não houve correção nos valores das multas de trânsito.

Algumas altas ocorreram devido a perigo que certos hábitos de motoristas têm no dia a dia, como falar ao celular, por exemplo, que não põe em perigo apenas o motorista mas uma série de outros veículos e pedestres que estão próximos.

A alteração no Código Brasileiro de Trânsito permite que o Conselho Nacional de Trânsito atualize os valores todo ano, com reajuste baseado na inflação do ano anterior (IPCA). Os órgãos também deverão publicar na internet, anualmente, os dados da arrecadação com multas de trânsito e onde estes valores foram investidos.

Publicidade

App do desconto

O Departamento Nacional de Transito (Denatran) prometeu que, ainda nesta terça-feira (1º), lançaria um aplicativo que pode dar até 40% de desconto no valor das multas para os usuários. Contudo, poucos órgãos de trânsito estão preparados para atender as notificações eletrônicas. O desconto será possível se o motorista não apresentar defesa, nem recurso, reconhecendo o cometimento da infração. #detran