A nova #Ducati Monster 1200, que acaba de ser lançada na Itália, traz uma série de novidades em relação a 2016, tanto de design quanto de tecnologia embarcada. A nova linha 2017 tem tanque com linhas mais enxutas, traseira completamente redesenhada e farol DRL (com luzes diurnas). Ela deverá chegar ao Brasil no próximo ano.

A Monster 1200 traz o reposicionamento do suporte da placa, que de deixar de estar no para-lama traseiro para ser instalado na rabeta. O quadro da #moto continua em tubo de aço, mas há novo monobraço oscilante para a suspensão traseira. Ela é da marca Sachs e tem mola com regulagem de pré-carga de amortecimento.

Outras novidades

A suspensão dianteira conta com garfo da Kayba com tubos de 43 milímetros de diâmetro, O motor Testatretta 11º, de 1.198 cc, foi atualizado e entrega 152 cavalos de potência a 9.250 rpm (150 hp), 15 cv a mais do que a Monster anterior. O torque máximo é de 12,87 kgf.m a 7.750 giros (126,2 Nm).

O pacote eletrônico é completo e inclui agora Unida de Medição (IMU), que fornece informações paras os sistemas ABS (freio antitravamento) e DWC (controle de tração) para melhorar o desempenho, a eficiência e segurança. A moto conta ainda com três modos reguláveis de condução – Sport, Touring e Urban.

A versão S

A #Ducati Monster 1200 2017 é equipada com freios Brembo com duas pinças radiais e quatro pistões na frente, que agem sobre os discos de 320 mm de diâmetro. Na traseira, o disco é simples de 245 mm, com pistão único também da Brembo.

A versão top de linha S traz garfo dianteiro da Öhlins totalmente ajustável, com tubos de 48 mm. A suspensão traseira também é da Öhlins e regulável. O sistema de freios é da Brembo, mas com discos dianteiros de 330 mm. Ela é equipada com rodas de três raios com ponta em “Y” e para-lama dianteiro de fibra de carbono. Quanto motor, são os mesmos 152 cv, mas são 5 cv a mais do que a Ducati Monster 1200 S anterior.

Design

A moto passou ainda por mudanças no design. A distância entre-eixos está 26 milímetros mais curta para melhorar a dirigibilidade, principalmente em estradas sinuosas. A estrutura compacta também muda a ergonomia, com o piloto tendo uma posição de condução melhor.

A ponta do tanque mais fina também ajuda a encontrar uma posição de pilotagem mais adequada. O farol foi redesenhado, o guidão tem curvatura maior e está mais inclinado para frente, enquanto o painel de instrumentos passou por uma reformulação.