Assim como a Fórmula 1 foi base de testes aos avanços tecnológicos depois utilizados nos veículos comuns, agora elétricos não possuem vários níveis, mas vão direto à Fórmula E. O salto na performance dos veículos elétricos, atualmente, alcança resultados superiores aos veículos à combustão, no entanto, são pesados e ​​devem ser conduzidos cuidadosamente para obterem o alcance máximo. Mas, ao mesmo tempos, apenas não esqueçamos o que a marca Tesla Motors já realizou, mudança enorme na expectativa dos consumidores mediante seu elegante Modelo S, que pode fazer 0-62 Km/h em 2,5 segundos engajado no modo lúdico .

Unindo aspirações de melhoras nos veículos no mercado, assim como aos da tecnologia a combustíveis nos anseios futuristas dos Fórmula 1, a popularidade desta nova competição cresce cada vez mais, chegando à sua terceira temporada.

Publicidade
Publicidade

A #Fórmula E foca nas corridas rápidas e fechadas em centros urbanos, e não em pistas construídas especificamente à categoria. O objetivo é promover a mobilidade sustentável em áreas urbanas na esperança de que incentive mais pessoas a saltarem para a tecnologia elétrica.

Desde a primeira temporada da Fórmula E, em 2014, as vendas de veículos elétricos saltaram dramaticamente. Naquela época havia apenas cerca de 10.000 EVs rodando, hoje existem cerca de 85.000. É improvável que este aumento na popularidade seja somente pela fórmula E, mas por vários fatores. Primeiro pela infraestrutura de carregamento do Reino Unido que cresceu dramaticamente, de cerca de 5.000 carregadores em 2014 até 11.500 no final de 2016, e a gama de EVs cresce o tempo todo à medida que a tecnologia de suas baterias melhora.

Publicidade

A tecnologia explorada na Fórmula E visa levar integralmente o avanço tecnológico de seus veículos elétricos a termos de uso global, nos outros veículos em série, e mostra às pessoas que esses carros podem correr rápido e duro, embora silenciosamente com a necessidade de trocar de carro no meio do caminho. Talvez, mediante a urgência que as empresas componentes do Fórmula E precisam aprimorar seus veículos comercializados, a implantação das inovações diante de um carro tão sofisticado em sua excelência, como os da Tesla Motors, seja muito mais rápida.

Isto é uma diferença enorme aos veículos à combustível, que dependem de muitas etapas entre aplicação em Fórmula 1 e depois aos veículos de série, na maioria. Esta agilidade transforma a competição na Fórmula E algo muito superior do que emissoras tomando melhores ângulos às piores desgraças nas pistas, mas a observação de espectadores visando detalhes a saberem quando poderão melhorar o desempenho de seus veículos pessoais.

A recém-chegada Jaguar ciente da urgência a obrigando a melhorar sua tecnologia elétrica compreende o impacto deste esporte na indústria elétrica.

Publicidade

"Para a Jaguar em particular, o início da primeira temporada de corridas da Panasonic Jaguar Racing coincidiu com a revelação do nosso novo veículo #elétrico, o Jaguar I-PACE conceito, demonstrando o fato de que tudo o que aprendemos Na pista será filtrada e desenvolvida em nossa futura estratégia de eletrificação. Assim, com a transferência de tecnologia de #Corrida para estrada, corridas competitivas em locais dentro de cidades, permitindo que equipes se conectem a uma nova audiência global, e mais fabricantes anunciando suas intenções de competir na série, estamos certos de que a Fórmula E terá um impacto duradouro na indústria de veículos elétricos para os próximos anos".