Ainda em seu período de estruturação e unindo a velha ideologia de "mobilidade sustentável" e condução autônoma à sua linha de veículos elétricos, finalmente a #Volvo se organiza para mais um lançamento de impacto. Como bons suecos, esperam para divulgar seus projetos quando devidamente estruturados, ainda que já estejam em posição avançada neste sentido. A segurança no seu #marketing implica em mais do que um projeto pronto e máquinas funcionando, mas uma estrutura de pós e pré-venda completa, é a meta para continuarem a trilha de cumprirem ao máximo as expectativas dos clientes.

Uma posição até que humilde por parte da empresa os impulsionou à união com empresas de tecnologia ou segmentos complementares a maximizar os resultados de seus esforços, buscando novos sócios e aliados, na velha máxima de que, ao invés de competir com empresas muito mais avançadas, se una com parceiros que melhorarão seu desempenho até atingir o mesmo nível de qualidade da concorrência e superá-lo.

No caso de componentes eletrônicos e de baterias, escolheram a parceria com o fabricante LG Electronics, num acordo concentrado no desenvolvimento dos carros elétricos que a Volvo lançará no mercado muito em breve, acordo fixo que a autonomia desses veículos elétricos será por volta dos 500 quilômetros entre as recargas. Na negociação, a LG Electronics proporcionará know-how necessário para a fabricação e fornecimento de suas baterias. Além disso, também fornecerá a experiência em áreas como a condução autônoma e conjunto de tecnologias necessárias para o respectivo piloto automático.

A previsão a lançar veículos com as tecnologias em conjunto está prevista para chegar com a próxima geração do Volvo S40-V40 em 2019, com a tecnologia integrada na nova plataforma CMA (Compact Modular Arquitecture), da família compacta da Volvo, além da incorporação da atual plataforma SPA (Scalable Platform Architecture) de muitas dessas tecnologias. Hakan Samuelsson é o CEO da Volvo Cars encarregado de manter tudo dentro dos prazos.

Um velho parceiro da empresa em outros projetos a aprimorar o desempenho dos veículos desta marca foi mais importante para a empresa, obrigando a Volvo a comprar a empresa Polestar há algumas semanas. Com esta aquisição o objetivo é trabalhar na produção de versões de alto desempenho dos seus carros elétricos. A perspectiva é usar a marca Polestar assim como Mercedes faz com AMG e BMW faz com o BMW M Range.

Lex Kerssemakers falou com a revista Motoring sobre os planos para a Polestar:

"Ainda estamos na fase de reconhecer como podemos aproveitar Polestar como ferramenta de marketing e que tipo de plano cíclico será lançado junto com ele".

"Sabemos que será sobre carros de alto desempenho, mas devem refletir o que defendemos de uma perspectiva popular. Assim, a eletrificação desempenhará um papel extremamente importante no futuro quando falamos sobre carros Polestar", revelou Kerssemakers. #elétrico