A #BMW anunciou, nesta terça-feira (20), a criação de um centro para desenvolvimento de #Carro autônomo em Unterschleissheim, perto de Munique, na Alemanha. O novo campus contará com dois mil funcionários para desenvolver #Tecnologia de conectividade para seus carros que fazem parte do projeto iNext, nome do primeiro modelo que andará sem motorista, previsto para ser lançado em 2021.

De acordo com a BMW, a tecnologia estreará em um veículo elétrico e será seguido por uma gama completa de modelos autônomos de todas as marcas do grupo, que inclui ainda a MINI e a Rolls-Royce, além da divisão de motos BMW Motorrad. A equipe será responsável pelo desenvolvimento de softwares para permitir a realização dos testes práticos de rua.

Publicidade
Publicidade

Testes em 2017

A partir de meados de 2017, os conhecimentos atualmente distribuídos em vários locais diferentes serão agrupados em Unterschleissheim. Para a BMW, a nova estrutura de trabalho irá acelerar as tomadas de decisão e tornar as equipes mais ágeis. A montadora pretende iniciar os testes com veículos autônomos em ambiente urbano ainda no próximo ano, em Munique.

O Grupo BMW emprega atualmente cerca de 600 pessoas no desenvolvimento de condução autônoma. Com o novo centro de pesquisa, a empresa vai expandir o número de desenvolvedores de software nas áreas de inteligência artificial, aprendizagem de máquinas e análise de dados. Ela já iniciou a contratação de novos profissionais.

Tecnologia

A BMW também trabalha para equipar seus carros com imagens holográficas e fará a apresentação de seu projeto nessa área no Consumer Eletronics Show 2017 (CES), que será realizado de 5 a 8 de janeiro, em Las Vegas (EUA).

Publicidade

A tecnologia é basicamente a projeção de uma imagem em três dimensões pelo uso essencialmente da luz.

O conceito foi criado em 1948 por Dennis Gabo e foi muito usado em filmes de ficção científica, como “Guerras nas Estrelas” e “Minority Report”. O sistema BMW Touch HoloActive leva a integração entre o motorista e o carro a um novo patamar. Ele funciona como uma tela tátil virtual, que funciona usando gestos. Pela primeira vez, as funções podem ser controladas sem contato físico com materiais (clique aqui para ler mais sobre a pesquisa).