A norte-americana Nikola Motor Company apresentou na noite desta quinta-feira (1º), madrugada desta sexta no Brasil, o primeiro #Caminhão elétrico do mundo. O #Nikola One ainda é um protótipo, mas totalmente funcional, e a empresa espera entregar as primeiras unidades em 2020, quando se iniciará a produção em série.

A até então desconhecida fabricante, sediada em Salt Lake City, no estado de Utah, considera o veículo revolucionário, uma contribuição para diminuir a poluição e ajudar a preservar o planeta. Uma das principais fontes de CO2 (gás carbônico) no mundo é a queima de combustíveis fósseis, considerados um dos vilões para o aumento do efeito estufa, que causa a elevação da temperatura na Terra e a degradação de ecossistemas e paisagens.

Publicidade
Publicidade

A apresentação foi feita na mesma semana em que as gigantes BMW, Ford, Mercedes-Benz e Volkswagen anunciaram que criaram uma joint venture para a criação de uma rede de recarga para veículos elétricos e híbridos em toda a Europa. O investimento faz parte dos planos das montadoras para aumentar as vendas de carros com essa #Tecnologia.

O caminhão

O Nikola One é movido a hidrogênio, com zero de emissão de poluentes. O gás gera a eletricidade para carregar as baterias de íons de lítio de 320 kWh de capacidade. Elas alimentam os seis motores de 800 V que impulsionam o caminhão, com peso estimado entre 8.100 e 9.500 quilos e capacidade para transportar 29,5 toneladas. É a mesma capacidade de caminhões semipesados movidos a diesel que circulam no Brasil, como Mercedes-Bento Atego 1718, Ford Cargo 1717E e Scania P 270 6x2.

Publicidade

O Nikola One tem tecnologia de ponta, presente apenas em carros superesportivos e aviões modernos. O chassi é feito de alumínio e aço, enquanto a carroceria é de fibra de carbono e alumínio. De acordo com a fabricante, em caso de falha no tanque de hidrogênio ou de falta de combustível, as baterias em plena carga garantem que o caminhão totalmente carregado possa rodar de 160 a 320 km, o suficiente para chegar a um local seguro, mesmo nas grandes estradas dos Estados Unidos.

Conforto

O veículo tem câmbio automático de duas velocidades e tração 6x4. A cabine oferece todo o conforto de caminhões usados em viagens de longa distância e até um pouco mais. O protótipo tem espaço para cama de casal, televisão 4K, microondas, geladeira, armário, mesa, WiFi 4G (internet sem fio) e ar-condicionado.

A Ryder, uma das maiores transportadoras norte-americanas, firmou um acordo com a Nikola Motor Company para o desenvolvimento do caminhão elétrico. A empresa tem uma frota de 23 mil veículos em operação e 800 pontos de atendimento em todo o país, que poderão ser usados para o reabastecimento do veículo.

Publicidade

A EUA Express e a Caterpillar também participam do projeto.

Planos

Trevor Milton, o CEO da fabricante, disse que a capacidade de produção será de 50 mil caminhões/ano e que já recebeu mais de US$ 4 bilhões (R$ 13,9 bilhões) em pré-encomendas. Ele anunciou que já trabalha no projeto para produção de um segundo caminhão elétrico de menor capacidade, o Nikola Two, para distribuição de curta distância.

Os veículos elétricos realmente parecem ser o futuro da mobilidade. O grupo alemão Daimler, dono da Mercedes-Benz e smart, anunciou um investimento de 10 milhões de euros (R$ 38 bilhões) para desenvolver carros elétricos e espera lançar dez modelos com essa tecnologia até 2025. Já a chinesa NextEV apresentou no mês passado o protótipo de um superesportivo elétrico de 1.360 cavalos de potência, o Nio EP9, que servirá de base para um carro de série a ser lançado no país em 2017.