A #Honda lançou nesta quinta-feira (15) um documentário sobre os 40 anos da CG no Brasil. O vídeo de quase nove minutos conta histórias do envolvimento de vários brasileiros com a #Motocicleta. São empresários, comerciantes, autônomos e vários outros profissionais que relatam a ligação emocional e até familiar com esse veículo, que é o mais vendido no país, com mais de 11 milhões de unidades comercializadas ao longo dessas quatro décadas.

A CGzinha, como é chamada, foi lançada em 1976, marcando o início da produção de motos da Honda no Brasil. O jornalista Josias Silveira é um desses personagens, recordando a aventura de viajar de Manaus (AM), onde a fabricação estava começando e era quase artesanal, até São Paulo.

Publicidade
Publicidade

Da família

Ele pegou a moto na linha de produção e percorreu os 3.875 quilômetros entre as duas capitais brasileiras. Silveira recorda que a reportagem fez muito sucesso e fez estourar as vendas da revista “Duas Rodas”, que estava começando na época, pois ninguém nunca havia feito algo semelhante com uma moto de baixa cilindrada.

Já o professor José Hilton Silva, de Imperatriz (MA), conta que a Honda Turuna 1985, uma derivação da CG, já é um membro da família. A moto foi de seus irmãos mais velhos, de dois tios até que ele a comprou. “Maria Antônia”, como ele carinhosamente a batizou, o ajudou a fazer a faculdade e nos primeiros anos de profissão, levando de uma escola para outra para lecionar.

Expedição

Essas são algumas das histórias colhidas pela “Expedição CG 40 Anos – Quilômetros de História” realizada pelos jornalistas especializados em motos Aldo Tizzani e Cícero Lima.

Publicidade

No dia 4 de outubro passado, eles partiram de Manaus, onde até hoje está a fábrica de motos da Honda, e percorreram 6 mil km pelo Brasil para colher depoimentos de donos de CG.

Foram 25 dias de viagem e 10 paradas em pequenas cidades e grandes capitais. “Ela substitui o cavalo, o burro, o jumento”, diz o lavrador e vaqueiro Oneias Almeida Silva. Ele usa uma #Honda CG para cuidar do gado e transportar a produção de castanha em Altos, no agreste piauiense.

História da CG

Os jornalistas viajaram a bordo a bordo da CG Série Especial 40 anos, lançada no mercado em outubro. A Honda começou a produzir motos no Brasil em 1976 quando as importações foram proibidas. A CG 125 foi segunda moto nacional, já que dois anos antes a Yamaha iniciou fabricação da RD 50, a Cinquentinha. O modelo da Honda logo caiu no gosto popular por se econômica, resistente e ter mecânica simples.

Desde o início, ela assumiu a liderança de vendas no País. Um ano depois do lançamento, a Honda já dominava 79% do mercado brasileiro de motos.

Publicidade

Em 1977, foi lançada a versão de luxo ML 125, e depois veio a Turuna. A Honda CG também foi responsável por vários avanços no setor. Ela foi a primeira moto flex produzida no mundo e o primeiro modelo de baixa cilindrada com freios CBS (antitravamento e distribuição eletrônica de força).

Em quatro décadas, a CG já teve nove gerações. Atualmente, ela é produzidas em seis versões, duas de 125 cilindradas, Cargo e Fan, e quatro de 160 cc, Cargo, Start, Fan ESDi e Titan. Juntas, elas dominam 74,23% do mercado de motos, de acordo com a Fenabrave (Federação Nacional de da Distribuição de Veículos Automotores). De janeiro a novembro deste ano foram comercializadas 268.263 unidades, uma média de uma CG vendida a cada dois minutos.

Assista o Vídeo