Após ser equipado com novo motor 1.6, o #Renault Duster terá outras novidades. O #SUV ganhará a inédita versão de sete lugares, que estreará com a chegada da segunda geração, programada para ser lançada no Brasil em 2018. Antes disso, a nova geração do Duster será apesentada na Europa já em 2017, onde é vendida com a marca Dacia, subsidiária romena da Renault.

O utilitário esportivo compacto também passará apor mudanças no design para enfrentar os líderes do segmento no Brasil, o Honda HR-V e o Jeep Renegade, as novidades do mercado, o Nissan Kicks e o Hyundai Creta, e o inédito Honda WR-V, que já está a caminho. Segundo o que circula na imprensa europeia, o Duster terá o chassi alongado em 20 centímetros, chegando aos 4.529 milímetros, para receber a terceira fileira de banco.

Publicidade
Publicidade

O que muda

O SUV com chassi alongado também oferecerá maior espaço para bagagem, com o porta-malas passando de 500 para 650 litros com a terceira fileira rebatida, capacidade encontrada apenas em utilitário esportivos médios. Outra novidade da segunda geração do #Renault Duster é que as versões de 1.6 litro terão nova transmissão automática CVT (simula marchas continuamente variáveis).

O Volkswagen Tiguan é outro modelo que também ganhará versão de sete lugares, que a montadora já antecipou que será chamada de Tiguan Allspace. O SUV terá mais 11 centímetros de comprimento será lançado em janeiro, no Salão de Detroit, nos Estados Unidos.

Novo motor

O novo motor 1.6 é de alumínio e equipa a linha 2017 do Renault Duster, que já está à venda no mercado brasileiro. O bloco é 30 quilos mais leve do que o anterior e até 18% mais econômico, segundo a fabricante.

Publicidade

O 1.6 SCe (Smart Control Efficiency) tem quatro cilindros e 16 válvulas, trazendo duplo comando de válvulas variável na admissão, injetores posicionados no cabeçote e outras novidades que garantem alta eficiência e bom desempenho.

O motor conta ainda com sistema Start&Stop, que desliga o veículo quando está parado, como no semáforo ou congestionamento, por exemplo. O propulsor é ligado automaticamente ao pisar na embreagem. Ele conta com tecnologia da Fórmula 1, onde a Renault conquistou 12 títulos mundiais. Eles são equipados com ESM (Energy Smart Management, Gerenciamento Inteligente de Energia, em tradução livre) e a bomba de óleo com vazão variável, que reduzem o consumo de combustível.

Assista ao vídeo para conhecer os detalhes do novo motor 1.6 da Renault