O Grupo #Volkswagen apresentou, nesta segunda-feira (5), em Londres, na Inglaterra, o #Moia, empresa que atuará com o serviço de transporte por carro via aplicativo de celular, novo corrente para o Uber. Os primeiros projetos-pilotos da nova divisão começarão a ser implantados na Europa em 2017, com o grupo alemão declarando que quer se tornar líder mundial em soluções de mobilidade até 2025.

O Moia foi apresentado durante o evento tecnológico "Tech Crunch Disrupt". De acordo com a Volkswagen, com a nova empresa, ela está sistematicamente impulsionando sua transformação em um provedor de mobilidade sustentável. Para a montadora, o mercado de automóveis está se modificando rapidamente e é preciso se adaptar aos novos tempos.

Publicidade
Publicidade

Mercado

As primeiras cidades onde o Moia será implantado são Berlim e Hamburgo, na Alemanha. O Grupo Volkswagen já deu outro passo no serviço de mobilidade com participação na Gett, um dos líderes mundiais no transporte de passageiros. Usuários do aplicativo podem reservar instantaneamente transporte sob demanda, entrega e logística em mais de 100 cidades em todo o mundo.

Um estudo da consultoria A.T. Kearney divulgado em outubro apontou que o mercado global de carros autônomos e serviços relacionados será de US$ 51 bilhões (R$ 175,1 bilhões) em 2020, saltando para US$ 282 bilhões até 2030 (R$ 964 4 bilhões). Esse potencial fez com que várias montadoras expandissem suas atividades além da fabricação de veículo para abocanhar uma fatia do novo mercado que se abre.

A Daimler, dona da Mercedes-Benz e da smart, já atua em 29 cidades da Europa e da América do Norte com o serviço de #Compartilhamento próprio, a Car2Go.

Publicidade

Nos Estados Unidos, a BMW lançou o aplicativo ReachNow, através do qual é possível alugar um carro da marca ou contratar serviço de entregas ou motorista particular. A Ford já anunciou que também trabalha no projeto de um serviço de caronas remuneradas.

No Brasil

O Brasil também já está na mira das montadoras que querem ampliar suas atividades. A Audi lançou no final de novembro, em São Paulo, o serviço de compartilhamento de carros Audi Share. O projeto-piloto é para os funcionários de duas empresas, o Grupo Segurador Banco do Brasil e Mapfre, instaladas no condomínio corporativo WT Morumbi, onde fica a sede da montadora do Brasil, na capital paulista.

Já a Chevrolet testa o Maven desde junho passado. É um serviço de compartilhamento voltado, por enquanto, para os funcionários da empresa da fábrica de São Caetano do Sul (SP). Mas General Motors, dona da marca, tem outros projetos nesse segmento. Ela investe no programa de carona Flinc na Alemanha, a Opel – outra marca do grupo – tem o serviço de compartilhamento CarUnity também na Alemanha e a Chevrolet mantém o programa de compartilhamento de bicicletas Zagster nos Estados Unidos.