O #Ford #Mustang decepcionou e conquistou apenas duas estrelas nos testes de segurança do Euro NCAP. O resultado do primeiro grupo de veículos avaliados foi divulgado, nesta quarta-feira (25), em Bruxelas, na Bélgica. Os outros dois modelos avaliados foram os Volvo S90 e V90, que conquistaram cinco estrelas, a nota máxima.

Mas o que aconteceu com o Mustang? De acordo com o Euro NCAP, órgão independente que realiza testes de segurança em veículos comercializados na Europa e reconhecido mundialmente por sua credibilidade, dois fatores pesaram para o resultado ruim do muscle car norte-americano. O primeiro é que a concepção de seu projeto privilegia os passageiros da frente, e o segundo, a ausência de equipamentos auxiliares de segurança ativa.

Publicidade
Publicidade

O resultado

De acordo com o órgão, o Ford Mustang atingiu 72% das notas possíveis na proteção aos passageiros da frente e 64% na segurança de pedestres (graças ao capô ativo), mas apenas 32% para crianças e 16% em equipamentos auxiliares de segurança. O crash test do Euro NCAP é composto por três simulações de acidente: colisão contra uma barreira deformável a 64 km/h, batida lateral de uma barreira deformável a 50 km/h e colisão contra um posto fixo a 32 km/h.

Há ainda a avaliação do efeito chicote (whiplash) que o passageiro sofre em acidentes em baixa velocidade – entre 16 e 24 km/h – e a simulação do atropelamento de um pedestre a 40 km/h em três situações: impacto da cabeça no capô, da parte superior das pernas contra a ponta do capô e da parte inferior das pernas contra o para-choque (assista ao vídeo no final deste artigo).

Leia também:

º Ford Mustang 2018 é revelado: novo design, mais potência e tecnologia. Veja o vídeo

º Shelby Super Snake ganha edição especial de 50 anos com 760 cv

º Ford Mustang e F-150 terão versões híbridas até 2020

º Ducati 1299 Superleggera chega como a moto mais cara do Brasil: R$ 550 mil. Assista ao vídeo

º Audi A3 Sedan reestilizado começa a ser vendido no mercado brasileiro

Resposta da Ford

O Euro NCAP aponta que o Ford Mustang GT avaliado é ano 2017 e é a versão de entrada na Europa, não estando equipado com airbags laterais traseiros, cintos de segurança com pré-tensionador atrás, detector de pedestre, sistema de frenagem automática em baixa velocidade e alerta de mudança involuntária de faixa.

Publicidade

Desde 2016, o órgão leva em consideração os equipamentos de segurança ativa para avaliar os veículos.

Criado em 1997, o Euro NCAP, mantido por verbas da União Europeia, se notabilizou por pressionar as montadoras a aumentarem a segurança veicular. A Ford informou que, desde maio de 2016, o Mustang vendido no mercado europeu tem como opcionais os equipamentos apontados pelo órgão como ausentes, com exceção dos airbags laterais traseiros.

#FordMustang