Estamos cercados de produtos químicos. Será que todos eles são realmente necessários? Que cuidados devem ser tomados em casa para evitar possíveis intoxicações por produtos químicos? Não deixe produtos químicos ao alcance de crianças. Muitos acidentes com elas acontecem pela falta de lugar adequado para guardar remédios e outros produtos químicos.

Uma pesquisa publicada no jornal Diário do Nordeste (em 2001) revela um fato assustador: 47% das emergências por intoxicação são causadas por produtos agrícolas ou domésticos. Esses resultados foram obtidos por uma empresa de planejamento, assessoria e informação em toxicologia, sediada em Campinas (SP), que se baseou em 6297 casos de emergências toxicológicas registrado no período de 1998 a 2000.

Publicidade
Publicidade

Segundo esse estudo, 36% das intoxicações foram causadas por praguicidas. Cerca de 20% das vítimas eram crianças na faixa de um a 5 anos, atraídas pelos coloridos rótulos dos produtos de limpeza. Mas a faixa etária mais atingida, o que é impressionante, é a que está entre os 21 e 35 anos, 25,6% dos casos.

Dentre os erros banais que provocam esses acidentes, muito deles de graves consequências, estão a falta de lugar adequado para guardar remédios e produtos químicos (que acabam ficando ao alcance das crianças), o uso de recipiente de alimentos e bebidas para acondicionar detergentes e desinfetantes ou simplesmente o emprego inadequado do produto. Por exemplo, um produto de limpeza que deveria ser diluído, ser usado em forma concentrada pode causar fortes reações alérgicas.

Um dos cuidados básicos para prevenir a intoxicação é ler as instruções constantes nas embalagens e segui-las corretamente.

Publicidade

Deve-se respeitar, rigorosamente, a quantidade a ser usada e a forma de diluição indicada no rótulo. Recomenda-se o uso de luvas de borracha, principalmente se o consumidor apresentar um histórico de alergia. No caso de produtos de limpeza voláteis ou que apresentam odores muito fortes, o uso de mascara e obrigatório.

Outra recomendação e não fazer combinações cujo efeito se desconheça, ou seja, não se deve misturar o produto "A" com o "B" acreditando que se conseguira uma limpeza mais eficaz, pois essa mistura poderá ser prejudicial à saúde.

Se uma pessoa se sente mal após a exposição a um produto, a recomendação é não perder tempo e procurar logo um médico. Também existem algumas medidas de emergência, como lavar a pele com água e os olhos com soro fisiológico e, se houver ingestão, não provocar vômito, nem tampouco dar água ou qualquer outra substância sem orientação médica, pois um erro de procedimento nesse momento pode agravar a situação.

Mas os produtos de limpeza e os inseticidas não são os únicos vilões dessa história.

Publicidade

Os produtos de beleza também já levaram muita gente para o pronto-socorro. As mais perigosas são as tinturas que podem que podem provocar reações alérgicas imediatas ou danos em longo prazo.

Para evitar intoxicações, a recomendação é sempre fazer um teste cutâneo antes de usar o produto. Deve-se passar um pouquinho do produto na pele e esperar alguns minutos. Se houver vermelhidão ou ardência no local, não se deve usá-lo. O ideal e tingir o cabelo com um profissional especializado, em um salão. Ele deverá usar luvas, máscara e manter o ambiente arejado.