Cada cultura tem um jeito de cozinhar e usa temperos e ingredientes únicos, que dão sabores diferentes para cada região do país.

Alguns desses pratos ou iguarias alimentam uma parcela populacional significativa, que talvez nós brasileiros nunca pensássemos que existiriam.

Segue abaixo uma lista bem exótica de algumas dessas iguarias:

Aranha caranguejeira: Apesar de parecer venenosa, essa espécie não é. Ela pode ser apreciada, frita, na brasa ou até mesmo assada. A parte mais saborosa é o abdômen.Esse prato é muito apreciado pelos indígenas da América do Sul, os aborígenes da Austrália e por alguns povos da África.

Publicidade
Publicidade

Um dos pratos mais caros da China é a sopa de ninho de passarinho, a espécie em questão é uma andorinha que faz seu ninho com a própria saliva, a andorinha demora em torno de trinta e cinco dias para fazer o ninho e só o faz na época de procriação (três vezes ao ano), e em lugares de dificílimo acesso como em altas paredes rochosas. Por esse motivo essa iguaria custa em torno de cem dólares o quilo.

Ovo de pato: Esse é um prato típico das Filipinas, onde o ovo é cozido com o feto em desenvolvimento, o feto se desenvolve por dezessete dias e depois é cozido, temperado com molho de soja, vinagre, sal, suco de limão e coentro. A iguaria que é servida ainda na casca,  tem uma textura crocante por causa dos ossos, um equilíbrio de sabores e é considerada uma comida afrodisíaca.

Na Indonésia é servido o café mais caro do mundo, chamado Kopi Luak, ele é feito a partir das fezes de um felino, conhecido como Gato de- Algália.

Publicidade

O felino seleciona os melhores grãos de café e come somente a polpa, os grãos ele engole inteiro e defeca. Esse grão defecado ao passar pelo processo de digestão, recebe algumas enzimas do organismo do gato o que dá ao café um sabor único e diferenciado. Os grãos são cuidadosamente lavados para a preparação da bebida.

Na Itália uma das principais iguarias é o Casu Marzu, um queijo feito de leite de ovelha que deriva de outro queijo, o pecorino. Para que o Casu Marzu seja feito é necessário cortar a tampa do queijo e certificar-se que existe bastante moscas no local, isso porque a fermentação do queijo é dada à partir das larvas de moscas. Essas larvas contém um ácido digestivo e consomem a gordura do queijo, o tornando mais cremoso.

O queijo é considerado tóxico quando as larvas morrem, por isso ele deve ser consumido com elas ainda vivas.

Agora é só criar coragem e se viajar para um desses lugares, experimentar as iguarias locais. #Culinária #Curiosidades