Em 2015 dois surtos envolvendo a bactéria E. coli afetaram de uma rede popular de restaurantes da Chipotle, o assunto trouxe à tona mais uma vez o risco da intoxicação alimentar que uma pessoa sofre ao ingerir determinados alimentos sem o devido cuidado. A maneira como os alimentos são processados acaba criando novas oportunidades para que os vírus e bactérias consigam chegar a mesa do consumidor.

Segundo dados do CDC- Centro de Prevenção de Doenças dos Estados Unidos, a cada ano mais de 48 milhões de casos envolvendo intoxicação alimentar são registrados somente nos Estados Unidos, destes 128 mil ficam internados e mais de 3 mil pacientes morrem vítimas de intoxicação alimentar.

Publicidade
Publicidade

De acordo com Bill Marler, advogado na segurança alimentar que nos últimos 20 anos representa vítimas de surtos de intoxicação alimentar nos Estados Unidos. Recentemente Marler acabou de publicar uma revista chamada, Bottom Line Health na lista ele inclui 5 alimentos que ele afirma que jamais comeria. Confira abaixo:

1. Leite ou suco sem pasteurização

De acordo com Marler, o leites sem pasteurização pode esta contaminado com inúmeros microrganismos incluindo bactérias como a Salmonella e a Listeria, o CDC informa que no período de 1993 a 2006 cerca de 1,5 mil pessoas ficaram doentes somente nos Estados Unidos por consumirem o leite ''cru'' sem a pasteurização, ou queijos fabricados com este tipo de leite. O leite sem pasteurização em média 150 vezes mais chances de causar doenças do que os produtos lácteos pasteurizados.

Publicidade

Segundo Marler o mais seguro é verificar se a embalagem do suco tem uma etiqueta afirma que este alimento é pasteurizado.

2. Brotos (de soja, feijão, alfafa etc) mal cozidos

Desde meados da década de 90, os brotos crus ou levemente cozidos já estiveram ligados a mais de 30 surtos bacterianos nos Estados Unidos ligados a Salmonella e a E. coli. Em 2011, ocorreram mais de 4 mil casos envolvendo a Salmonella, onde mais de 53 pessoas perderam a vida devido a uma intoxicação alimentar na Alemanha, cuja a causa foi justamente a E.coli nos brotos. Em 2014, um surto de Salmonella nos brotos de feijão levaram mais de 20 pessoas a se internarem em hospitais dos Estados Unidos.

3. Carnes mal passadas

De acordo com Marler, os hambúrgueres devem estar sempre bem passados, pois a razão para os produtos moídos necessitam de um bom cozimento, sendo assim qualquer bactéria que está localizada próximo a superfície pode contaminar todo o interior afirma. Caso a carne moída seja cozida a uma  temperatura entre 70ºC a 75ºC ela poderá causar uma intoxicação pela bactéria E. colli, Salmonella entre outras.

Publicidade

Marler também afirma que existem problemas relacionados à técnica de maceração nos bifes, onde a simples prática de fura a carne com uma agulha para amaciá-la pode transferir bactérias da superfície para o interior da carne. Caso a carne esteja macerada, Marler afirma que pretende consumi-la bem passada.

4. Frutas e vegetais que vendem-se lavados ou cortados

O especialista ressalta que quanto mais se manipula, ou se processa um produto maior é o risco da contaminação. Nos últimos anos houve um grande aumento no número de vendas de saladas ou frutas cortadas e mal lavadas prontas para o consumo. Em casos como estes, o especialista ressalta que o consumidor deve comprar frutas e verduras em pequenas quantidades sem lavra ou cortar e consumi-las dentro de um prazo de três dias, tudo para evitar os riscos da listeria esta bactéria é letal e costuma se propagar dentro da geladeira.

5. Ovos crus

Em meados da década de 80 ocorreu um surto de Salmonella no interior da Grã Bretanha, naquela ocasião o ovo mal higienizado foi considerado o responsável pela maioria dos casos, porém muitas pessoas não deixaram de consumi-lo cru. Geralmente o ovo apresenta muitos risco a saúde e para prevenir as doenças os especialistas recomendam limpá-los com vinagre antes do armazenamento. #Entretenimento #Culinária #Curiosidades