Para uma gestão doméstica de sucesso, você precisa enxergar sua casa como uma empresa, onde existem entradas e saídas, ou seja, a entrada de receita por meio dos ganhos salariais dos moradores, e as saídas que são despesas e contas a pagar.

Antes das dicas de #Economia, porém, é preciso entender que a palavra "despesa" não deve ser encarada como uma coisa ruim. Dentro dela estão os investimentos em estudos que podem aumentar o potencial de ganhos e novas oportunidades de emprego, gastos com lazer que proporcionam o relaxamento e bem-estar e, claro, os combustíveis para uma vida saudável, os alimentos.

Enxergando a palavra "despesa" como algo necessário em nossas vidas, fazer seu planejamento será muito mais prazeroso e eficiente.

Publicidade
Publicidade

Então vamos as 7 dicas para economizar nos alimentos?

1. Não faça compras de barriga vazia

Tá bom, já sei! Você já sabe desta dica, não é? Mas por que exatamente? Porque de fato você comprará mais alimentos pensando em uma forma de saciar sua fome, mas principalmente aquele produtos já prontos e que possuem maior valor agregado, como as saladinhas, os sanduíches prontos, os pratos congelados e as bebidas que ficam à altura do seu estômago na fila do caixa.

Se você é mãe e/ou executiva com pouquíssimo tempo para fazer compras, não vai pensar duas vezes em comprar um desses snacks e comer no estacionamento do supermercado mesmo!

2. Não faça compras de "mãos vazias"

Barriga forrada? Ok. E quanto as mãos? Ah sim, elas precisam de uma boa lista de compras. 

Faça uma lista de compras bem planejada.

Publicidade

Existem aplicativos que mostram quais estabelecimentos próximos ao seu endereço estão em promoção. Considere estas informações e faça um cronograma para conseguir comprar tudo em dois ou três estabelecimentos.

Normalmente os supermercados trabalham com mix de preços, onde o preço de alguns produtos compensa a promoção de outros e, no final das contas, você tem um valor médio de compras igual nos estabelecimentos mais próximos. Mas se você se organizar, consegue comprar o melhor de cada um.

3. Estabeleça um gasto fixo e use calculadora

Lembra da lista e das promoções? Elas permitirão que você saiba quanto vai gastar aproximadamente na compra. Use a calculadora para acompanhar o valor do seu carrinho à medida em que você for enchendo e também para calcular preço x volume.

É só dividir o valor pelo volume dos recipientes para descobrir qual vale mais à pena.

4. Prefira os produtos da estação

Meu Deus, você mora no Brasil! Temos uma variedade incrível de frutas, legumes, verduras e muitos outros grãos e alimentos que aumentam ou diminuem de preço conforme suas safras.

Publicidade

Além de comprar produtos mais baratos, você também diversifica os nutrientes que sua #Família estará recebendo nas refeições.

Produtos da estação podem sair pela metade do seu preço médio! Isso faz muita diferença!

5. Fique atento aos prazos de validade

Uma estratégia comum dos supermercados é diminuir o preço dos alimentos que estão próximo de seus vencimentos. Até aí ok, se a informação estiver bem clara.

Daí cabe à você decidir se aquele produto será consumido dentro do prazo ou está te seduzindo apenas pelo preço irresistível. Se levar diversos produtos apenas por seu preço magnífico, pode correr o risco de ter que jogá-lo fora e ter prejuízo nesta compra.

6. Não subestime a equipe de marketing do supermercado

Existem várias táticas de sedução para consumidores, do odor das lojas, gôndolas estrategicamente posicionadas e promotores de produtos oferecendo brindes irrecusáveis.

Até a mudança dos produtos para outras prateleiras pode ser considerada uma estratégia do supermercado para fazer você passear mais pelos corredores e ver outros produtos. Não se engane!

Seja firme em seu planejamento e execução. Fazendo uma lista do que é necessário e quais produtos em promoção ou em alta estação vão atender as necessidades da sua casa, você garantirá uma compra mais consciente e aproximadamente R$ 100,00 de economia por mês de itens supérfluos. #Culinária