Nos dias de hoje, com os preços lá em cima e a crise também, o desperdício de alimentos não é um bom negócio, tanto para o consumidor, como para o comerciante. O famoso “Self Life” (tempo de vida da sua comida), pode ser prolongado por uma série de medidas simples no dia a dia, que resultam em uma grande diferença no final do mês.

Publicidade

O que faz um alimento estragar ou não

Temperatura, recipiente de armazenamento, gordura, oxigênio e a circulação de água na comida.

Fazendo a mais alta tradução literária da ciência, há alimentos (como vegetais, verduras, saladas, peixe, ovo e carnes) que duram mais em altas temperaturas e guardados em recipientes lacrados.

Publicidade

Isso impede que eles murchem e prolonga seu tempo de vida.

A classe dos cereais (como panificados, arroz, milho, trigo, aveia, macarrão, farinhas, biscoitos) e das raízes (batata, mandioca, inhame e demais) deve ser preservada em temperatura ambiente e lacrada.

Já o leite, gordura, açúcares, doces e derivados como queijo, requeijão, margarina, chocolate e demais, o mais sábio seria preserva-los em temperatura ambiente. Isso evita o derretimento ou deterioração dos alimentos e impede que a gordura que os compõe se transforme em óleo, circule pela comida e acelere a decomposição. Também é legal dizer que não é tão bom mandar os alimentos dessa categoria para geladeira, considerando que isso enrijece os ingredientes e tira um pouco o sabor das suas guloseimas.

Não esquecendo as frutas, é importante preserva-las em ambientes frescos e com temperatura ambiente, como prateleiras por exemplo. Isso faz com que elas respirem e prolonga seu tempo de vida.

Levando em conta as dicas, uma série de sugestões práticas que vão ajudar a prolongar a vida dos alimentos:

1 – Para alimentos como verduras, saladas, peixe e carnes, você pode utilizar a embalagem tipo "stand up pouch", lacrando os alimentos e os colocando na geladeira ou freezer.

Publicidade

Caso queira uma opção mais caseira, também pode usar saquinhos plásticos de escritório mesmo.

2 – Para os cerais e raízes, o mais legal é mantê-los sempre lacrados. Em suas embalagens inicialmente e, no pós-uso, em potes caseiros, em temperatura ambiente.

3 - Para leite, gordura, açúcares, doces e derivados, o melhor é guarda-los em potinhos, coloca-los em ambientes frescos e evitar ao máximo o contato com o calor.

4 – E finalmente chegando às frutas, o mais recomendado é guarda-las em prateleiras ou fruteiras que estejam em locais frescos e bem arejados, evitando a todo custo ambientes quentes. #Prolongue a vida dos seus alimentos #O que faz um alimento estragar #Dicas para que meus alimentos durem mais