São muitas as pesquisas realizadas sobre as células tronco, vão desde a estrutura celular destas células, seus componentes bioquímicos até mesmo as suas aplicações em diferentes organismos. Essas células são dotadas do que chamamos de pluri ou totipotencialidade, de modo geral, pluripotencialidade, ou seja, elas podem se tornar vários outros tipos celulares, curando, portanto, várias doenças.

Claro, um dos grandes problemas gerados por elas é que acredita-se que "os cientistas estão levando à morte alguém que chegaria à vida", mas seria mesmo? Ou seria apenas mais uma interrupção da religião para tentar barrar a ciência e suas novas descobertas? Bom, o que é verdade, é que ainda não temos certeza e não sabemos de nada sobre isso.

Publicidade
Publicidade

Portanto, vamos aos fatos falados...

Recentemente uma ex-ginasta brasileira, Laís Souza, sofreu um grave acidente enquanto treinava sua nova modalidade de esporte e precisou de auxílios médicos. Ela se encontra na cadeira de rodas, se recuperando, mas, partindo do princípio de que precisava fazer um tratamento, foi até Miami fazer um tratamento com células tronco. Ela sofreu uma lesão da medula - o que acredita-se há muito tempo que podemos curar com as células tronco, visto que elas podem renovar as células sensoriais presentes no local e trazer de novo os movimento da ginasta ou de quaisquer outros paraplégicos ou tetraplégicos. Laís não apresentou nada grave após o tratamento, mas também espera-se que em pouco tempo ela apresente alguma melhora. Se ela andará, poderá se movimentar normalmente como antes, não sabemos, basta esperarmos as asas das ciências decidirem.

Publicidade

A ideia de se falar sobre isso hoje é para se notar a importância das células tronco, como elas podem ser usadas e como podem ser, futuramente, uso e fruto de muitos "milagres" que ainda são apenas possíveis aos olhos da igreja. E o melhor, as células troncos são geradas até mesmo por transgressão de células que já existam, o que faz com que o corpo do indivíduo não apresente nenhum problema de rejeição com o possível novo órgão que seja formado e transplantado. Ou melhor, não só órgão, quaisquer coisas, visto que as células troncos são, praticamente, o "x" da ciência. #Opinião