O jornal gratuito Metro, que também circula no Reino Unido, publicou uma matéria a respeito de uma maneira mais ecológica de consumir produtos alimentícios. A novidade é usar restos de comida para fazer novos pratos.

Para um brasileiro, a ideia pode parecer estranha ou até mesmo óbvia, mas não exatamente nova. Afinal, existe uma série de pratos da culinária brasileira que são feitos usando ingredientes que já foram previamente servidos, reaproveitando-os em um novo prato.

Os exemplos são fartos. O peru ou frango assados para a ceia, na véspera de Natal, podem virar um delicioso salpicão no almoço do dia seguinte.

Publicidade
Publicidade

Basta desfiar e acrescentar os novos ingredientes. Uma salada de legumes pode ser reaproveitada em uma omelete ou fritada.

Outros três pratos vêm corroborar a ideia de que reciclar comida já é uma técnica comum entre os brasileiros e que o consumo ecológico faz parte do seu dia a dia. O bolinho de arroz, por exemplo, pode ser feito ao reaproveitar o arroz cozido do dia anterior.

E o que dizer do tutu de feijão? Raramente ele é feito dentro de casa com feijão novo e fresquinho. Já o bom e velho estrogonofe pode ser uma solução interessante para a carne assada ou os bifes que tenham sobrado de uma refeição.

Uma infinidade de outras receitas pode ser feita de restos impensáveis, como a casca do abacaxi (para fazer suco), a casca de banana (para fazer doces) e por aí vai.

O vatapá e a rabanada vêm coroar a lista de saborosas receitas.

Publicidade

Ambos podem ser preparados com pão velho, e muitos afirmam que ficam até melhor assim.

Mas é bom que os países desenvolvidos criem esse hábito. Ao todo, estima-se que toneladas de comida sejam jogadas fora por deixarem de atender aos padrões de qualidade permitidos para a sua comercialização nos supermercados.

No entanto, essa mesma comida ainda pode ser consumida com segurança, e é disso que o artigo trata. Organizações de caridade e até restaurantes famosos estão agora requisitando estes produtos com prazo de validade expirado para produzir pratos com comida fresca e servi-los aos necessitados ou angariar fundos.

Uma das maiores redes de supermercado do país, o Tesco, já havia adotado, há algum tempo, uma política de reaproveitamento de alimentos perecíveis. É possível encontrar uma grande variedade de produtos que estão para expirar com descontos generosos. É uma maneira inteligente de evitar o desperdício.