A dieta sem glúten promete emagrecimento rápido e saudável. Assim, espera-se que, com a prática do não consumo dos alimentos que contém a proteína, haverá a normalização das taxas de colesterol, triglicerídeos e açúcar no sangue, além da redução das medidas.

Deste modo, muitas pessoas estão aderindo aos regimes de restrição do glúten, para perder peso com rapidez e entrar em forma. Essa atitude, no entanto, é discutível, pois as indicações são para os indivíduos que apresentam algum tipo de restrição ao seu consumo.

Por conseguinte, o governo federal, através de instrumento normativo, determinou que todos os alimentos, para serem comercializados, devem conter em seus rótulos a indicação de "contém glúten" e "não contém glúten".

Publicidade
Publicidade

Essa medida propiciou aos que sofrem com os efeitos da proteína, a opção de escolher somente os produtos benéficos à saúde.

Assim, a iniciativa governamental permitiu aos portadores de intolerância a proteína que tomassem conhecimento dos alimentos com glúten em sua composição, antes do seu consumo, encontrando formas mais saudáveis para alimentar-se.

Problemas que o glúten causa a saúde

O glúten é resultado da mistura das proteínas glutenina e gliadina, que estão presentes nas sementes dos cerais, em especial o trigo, centeio, cevada e aveia. Portanto, em forma de farinha, ao absorver certa quantidade de água, apresenta a viscosidade essencial para a preparação de massas e pães.

O consumo em exagero desses alimentos, para quem tem alguma intolerância, pode causar grandes malefícios ao organismo como:

  1. Doença celíaca;
  2. Síndrome de cólon irritável;
  3. Cansaço;
  4. Artrites;
  5. Alergias;
  6. Dermatites,
  7. Enxaquecas,
  8. Depressão e ansiedade,
  9. Doenças psicológicas.

Nesses casos, as condições da saúde somente melhoram com a substituição do glúten por alimentos isentos dessa proteína.

Publicidade

Então, algumas pessoas têm resposta positiva do quadro clínico em alguns dias, mas outras levam dois meses, para sentirem os efeitos.

Portanto, nesses casos em particular, qualquer produto que contiver o glúten, mesmo somente alguns traços, vai causar algum tipo de intolerância e podendo os sintomas se multiplicarem rapidamente, dependendo de cada organismo.

Por que essa moda de emagrecer, retirando o glúten do cardápio?

Nos últimos anos, o glúten tem sido apontado como um dos grandes vilões da obesidade, em virtude de uma divulgação maciça de que essa proteína engorda, além de ser prejudicial ao organismo humano. Portanto, tornou-se o maior desafio, para quem quer conquistar um corpo perfeito, excluir do cardápio os alimentos que contenham glúten.

Contudo, as informações não são verdadeiras. O glúten somente é prejudicial para quem é intolerante ao seu consumo. Quanto a vir ser o responsável pelo aumento do peso corpóreo, isso em parte está correto. Ou melhor, o que acontece é que o glúten faz parte de algumas sementes de grãos que se transformam em poderosos carboidratos, como farinha de trigo, que produz pães, bolos, bolachas, biscoitos, massas em geral, entre outros e, cujo consumo em excesso, vai resultar no aumento do peso, como qualquer outro carboidrato.

Publicidade

Isso ocorre, porque se generalizou os feitos do glúten nas pessoas que apresentam problemas orgânicos de saúde, com outras pessoas que são gordas, em virtude da quantidade de carboidratos na dieta. No primeiro caso, o intestino delgado é o mais atingido com os desconfortos, que pode se prolongar por toda a vida e, no segundo caso, uma grande concentração de tecido adiposo, em todo corpo, provocará um aumento do peso.

Os indivíduos que optam pela restrição do glúten no cardápio, devem ter a consciência que essa forma de começar uma dieta não é correta. Uma orientação profissional adequada dará melhores resultados. 

Diante do exposto, o glúten não é um mal a saúde de todas as pessoas. É uma proteína que requer restrição somente para quem apresenta situações que causem doenças. Quanto àquele que pretende emagrecer, o melhor é desmitificar a moda do glúten e adotar a reeducação alimentar. #Dicas