A Agência Nacional de Vigilância Sanitária - ANVISA, retirou nesta quarta-feira (14/01) da lista de substâncias proibidas, o canabidiol, que vem da maconha. Foi aprovado por unanimidade e houve uma reclassificação da substância, pois de acordo com os diretores da agência, não há nenhum relato de que seja uma substância que cause dependência.

Mais sobre o canabidiol e seus usos

A substância química conhecida como canabidiol constitui uma grande parte da Cannabis, chegando a quase - ou até mais - 40% de seus extratos.

É um passo importante, uma vez que ajudará quem até então buscava a substância de forma ilegal, para tratamentos de saúde.

Publicidade
Publicidade

Outra passo importante será para os pesquisadores, já que agora abriu caminho para que se descubra mais sobre os benefícios do canabidiol.

Essa discussão vinha se estendendo desde início de 2014, e até agora a Anvisa vinha autorizando a importação da substância apenas em caráter excepcional.

Entre os benefícios que a substância promove ou pode promover, já que ainda há estudos sobre, podemos destacar:

  • Uma provável eficácia contra a perda de memória, podendo a substância ser um medicamento Importante para combater o Mal de Alzheimer, desde que identificado logo cedo;
  • Pode-se criar a partir da substância, um medicamento para tratamento da esquizofrenia - um medicamento mais leve que os utilizados até então;
  • Há esperanças de que se posso utilizar o canabidiol para tratamentos de transtornos de ansiedade - TOC, fobia social e síndrome do pânico;
  • Estudos têm mostrado os efeitos da substância em crises convulsivas, em pacientes com doenças neurológicas graves - há a diminuição das crises;
  • Algumas pesquisas têm apontado o canabidiol como um auxílio para melhorar a qualidade de vida e do bem-estar de quem tem Mal de Parkinson.

Lembrando que a liberação é para uso terapêutico, que o uso está sujeito a controle e que a reclassificação da substância não está diretamente ligada à liberação da maconha, são assuntos bem diferentes.

Publicidade

Foi uma decisão muito bem tomada, as famílias de quem faz tratamento terapêutico com o canabidiol devem estar um tanto aliviadas, já que a a partir de agora estarão buscando uma medicação que está regularizada.