Em Londres, um bebê recém-nascido se tornou o mais jovem doador de seu país quando seus rins e as células do fígado foram transplantadas para salvar as vidas de mais dois pacientes. Esse delicado processo de remoção de órgãos de apenas três ou quatro centímetros de comprimento é considerado um divisor de águas na doação de órgãos.

A imprensa local informou que o paciente, cujo nome permanece anônimo, morreu com alguns dias de vida devido à falta de oxigênio para o cérebro durante o período de gestação. "Os exames médicos determinaram que o recém-nascido não podia se mover, não respondeu aos estímulos e tinha pupilas fixas e dilatadas", explicou o jornal britânico Daily Mail .

Publicidade
Publicidade

Médicos analisaram ​​com os pais a possibilidade de doar seus órgãos já que pequeno não sobreviveria. Com a ajuda de uma equipe de especialistas em doação do hospital Hammersmith de Londres, os pais deram permissão para que fossem retirados os rins e as células do fígado.

Dr. Gaurav Atreja, na unidade neonatal do Hospital Hammersmith, no oeste da cidade, confirmou que os rins mediam de 3 a 4 centímetros de comprimento e 2 centímetros de largura. "Você pode transplantar o rim de um bebê em crianças e adultos. Mas eu não sei exatamente que tamanho vai crescer, mas é o suficiente para eles trabalharem." Ele acrescentou que as células do fígado podem ser injetada no sangue de pacientes com insuficiência hepática para "ganhar tempo até encontrar um doador compatível", disse o médico.

O caso foi publicado na última edição da seçâo dos Neonatais "Archives of Disease in Childhood" (Archives of Disease in Childhood), onde Atreja escreveu: "Um plano cuidadoso e realista foi preparado em conjunto com a equipe da doação de órgãos e apresentado aos pais.

Publicidade

A enfermeira da equipe de Transplante Serviço Nacional de Saúde (NHS) avaliou se os órgãos funcionam adequadamente e chegou à conclusão de que os rins e as células do fígado estavam em bom estado. Ao mesmo tempo, foram encontrados pacientes que estão na lista de espera por órgãos em todo o país.

Depois de seis dias, o bebê morreu e os órgãos foram transplantados para pacientes com insuficiência renal e hepática. A equipe que realizou o transplante enfatizou que o procedimento foi um sucesso graças à "extrema generosidade dos pais e da maravilhosa colaboração entre equipes e doação de órgãos neonatal."

A equipe médica espera que este seja o primeiro passo para o transplante de órgãos em unidades neonatais. Este caso foi amplamente documentado por ser o primeiro de seu tipo. #Inovação