Cientistas pesquisadores do Instituto Biodesign, da Universidade do Arizona, EUA, estão animados com a possibilidade do uso de bactérias e micróbios presentes em fezes e no esgoto para geração de eletricidade.

Craig Criddle, engenheiro ambiental que estuda a nova tecnologia, declara que isso pode ser o começo de uma nova revolução na geração de energia alternativa, talvez a mais importante jamais pensada pelo homem. As bactérias e micróbios conseguem fornecer eletricidade constantemente, pois não precisam do vento e do sol para seu funcionamento.

Elas somente se alimentam de dejetos, inclusive algumas consomem produtos poluentes para #Natureza como, por exemplo, o esgoto, lixo industrial ou radioativo.

Publicidade
Publicidade

Para o pesquisador, seria interessante colocá-las em rios ou lixões de grandes centros para que com isso possa limpar a sujeira ali existente e ao mesmo tempo fornecer energia que poderá ser consumida na cidade.

Apesar do poder das bactérias e micróbios para geração de energia, ainda é muito pouco para o uso, pois são necessários bilhões desses pequenos seres interligados entre si para gerar poucos volts.

Os estudos revelam que já esta sendo possível fazer baterias para celulares e notebooks por meio desta tecnologia, e não vai demorar muito para que veículos elétricos usem bactérias em seus tanques para gerar energia para o deslocamento.

Com esse fantástico potencial no futuro será possível criar pequenas usinas elétricas limpas para suprir as necessidades das residências, usando apenas bactérias e micróbios sem afetar o meio ambiente.

Publicidade

Além dos benefícios para o meio ambiente, a produção desse tipo de energia também é conveniente em relação a economia de dinheiro, pois sua implementação e manutenção tem custos mínimos se comparado a produção de energia das hidrelétricas e termelétricas.

Com certeza será a forma de energia mais limpa e renovável criada pelo homem,além de gerar a energia será um meio de se  livrar de dejetos que hoje só causam doenças e poluem o meio ambiente.