A inglesa Maisie Durant, de 21 anos, teve uma morte trágica bem em frente a seu pai. O senhor Durant presenciou a filha ter um choque anafilático.

Acredita-se que Maisie sofria de uma condição rara de uma doença conhecida como anafilaxia induzida por exercício. Ela tinha alergia a nozes e sabia disso desde pequena, inclusive tratava de sua alergia com tabletes quando necessário. Porém, ignorava que exercícios em excesso aliados a algum agente alérgico podem intensificar os sintomas, chegando até mesmo a causar a morte, como foi o seu caso.

A morte de Maisie

Maisie fez uma série de exercícios na academia, então voltou para casa e comeu uma barra de cereais que continha nozes.

Publicidade
Publicidade

Por ser alérgica a essa substância e estar com o organismo acelerado devido à atividade física, rapidamente seu sangue foi tomado pela alergia, causando um quadro irreversível.

Quando começou a sentir-se mal, seu pai declarou que ela agarrou rapidamente os comprimidos antialérgicos, e foi nesse momento que ele percebeu que tratava-se de uma crise mais grave do que as que Maisie já havia apresentado.

O pai de Maisie, que assistiu a filha praticamente agonizar, declarou: "Não estou certo que alguém possa compreender como é ver aquilo acontecer." Ele imediatamente chamou os paramédicos, porém a filha faleceu horas após ter dado entrada em um #Hospital em Londres.

"Foi horrível", disse o pai. "O serviço de saúde fez um ótimo trabalho mas foi tarde demais. Agora quero alertar as pessoas sobre exercício e alergias."

A jovem inglesa era doadora de órgãos desde os 16 anos.

Publicidade

Embora a família Durant não saiba para quem foram feitas as doações, foi informada que através de Maisie três vidas foram salvas. Dentre elas, havia duas pessoas com falência dos pulmões que, antes da doação dos pulmões, já faziam diálise há cinco anos.

A família Durant criou uma página em memória de Maisie. Através do site, diversas pessoas, dentre familiares e amigos da vítima até pessoas que se sensibilizaram com sua causa, já doaram mais de 45.000 libras para a Campanha Anafilática, a fim de esclarecer e auxiliar pessoas alérgicas que correm o risco de desenvolver essa doença.

Um porta voz da Campanha explicou que quando alguém está em choque anafilático, é recomendável manter a vítima deitada com os pés para cima, e orientá-la para não andar ou fazer qualquer outro tipo de movimento, pois as atividades fazem com que o sangue seja bombeado pelo corpo mais rapidamente, causando um transtorno maior e por vezes sem retorno.