É de longa data que se ouve dizer para não misturar bebidas alcoólicas, que isso faz mal e traz a ressaca no dia seguinte. Muitos seguem esta advertência à risca, outros desafiam a teoria por não se importar ou mesmo não acreditar. E parece que estes últimos tem razão.

O que realmente faz mal

Parando para pensar, parece mesmo não haver lógica quando se diz que a mistura de bebidas faz mal, já que o álcool ingerido é exatamente o mesmo. Muitos estudos já foram feitos por equipes reconhecidas, e até hoje, nenhum resultado comprovando tal malefício foi encontrado, o que dá força à teoria de que essa história trata-se apenas de um mito.

Publicidade
Publicidade

Comprovado são os efeitos que o álcool exerce no organismo. Por ser diurético, promove a eliminação de muita água em um curto período, desidratando o corpo, principalmente o cérebro, o que o leva a ter suas funções reduzidas, além de eliminar alguns sais importantes. Desta forma, é comprovada que a ingestão exagerada de etanol faça mal ao organismo, sendo ele o grande vilão que se apresenta nas bebidas.

O álcool em quantidades elevadas no corpo causa irritação às paredes do estômago e intestinos, levando a náuseas, mal-estar e vômitos em decorrência disso. Vale ressaltar que as mulheres possuem uma quantidade menor de enzimas que fazem a conversão do álcool no organismo, explicando assim sua maior vulnerabilidade frente à ingestão de bebidas alcoólicas.

Fermentado ou destilado. Entenda as diferenças no organismo

O processo de obtenção destes tipos de bebidas é de conhecimento de todos.

Publicidade

Mas nem todos sabem como eles atuam no organismo.

Nas bebidas fermentadas, muitas substâncias de moléculas relativamente grandes estão presentes. Ao serem metabolizadas no fígado, onde o etanol também será, estas acabam sendo uma espécie de 'concorrentes', o que faz com que o álcool seja processado mais devagar. Desta forma, o efeito causado por bebidas fermentadas é mais leve, mas mais duradouro.

No caso de bebidas destiladas, a presença de moléculas grandes é muito menor. Com uma concorrência reduzida, o etanol é processado de forma mais rápida, fazendo com que seu efeito seja rapidamente sentido, mas acaba sendo efetivo em um intervalo de tempo menor também.

O grande fator por trás do mito

É comum que as pessoas que misturam bebidas comecem com o fermentado e passem para o destilado em seguida. Como citado acima, enquanto se está bebendo uma cerveja, por exemplo, o álcool ainda não está com sua atividade no organismo. Mais tarde, ao beber o destilado, o corpo já estará 'recebendo' o álcool vindo da cerveja, assim como o do destilado.

Publicidade

Isso gera um pico de concentração alcoólica, às vezes até de forma repentina, e este fator sim dá a entender que foi o fato de misturar, o causador do problema.

Outro fator testemunhado na prática é de que pessoas que misturam bebidas têm a tendência de beber quantidades maiores em relação as demais pessoas, mais um reforço para que o organismo sinta o poder do álcool, e que dê força à velha crença de que misturar bebidas alcoólicas faz mal.

Atenção: Este artigo tem caráter informativo. Não tem a intenção de incitar o usuário à misturar bebidas alcoólicas - são constatações resultadas de estudos e que mostram o que realmente faz mal à saúde e o quanto agride o organismo quando bebidas são misturadas.

Aproveitando que estamos em época de carnaval: beba com moderação e se beber, não dirija. #Curiosidades